Gabriel Carneiro e Rodrigo Vessoni
28/07/2016
06:00
São Paulo (SP)

Corintiano com maior número de jogos na temporada, maior ladrão de bolas do Brasileirão e capitão mais frequente sob o comando do técnico Cristóvão Borges, Bruno Henrique deve ser um motivo de preocupação para a torcida alvinegra. Tudo porque seu vínculo com o Corinthians terminará no próximo dia 31 de dezembro e, até agora, não foi renovado. Apesar de as partes falarem em situação tranquila e perto de ser resolvida, o acordo ainda não saiu e a novela continua.

As negociações pela extensão do vínculo por dois anos começaram em março, e dirigentes do Corinthians chegaram a dizer que estava tudo encaminhado, só pela assinatura. Não era bem assim.. De declarações em declarações, a novela se arrastou, a burocracia aumentou e ainda não houve acerto.

Além das sondagens de clubes internacionais que valorizam o “passe” de Bruno Henrique, o Corinthians tem dificuldades para efetivar a compra de 25% dos direitos econômicos do Coimbra, clube utilizado pelo Banco BMG para registrar seus atletas. Hoje, o Timão detém só 25%, e o Londrina possui os outros 50%.

A OTB, empresa dos representantes de Bruno Henrique, a assessoria do jogador e o próprio Corinthians sustentam a mesma versão: está tudo certo, só falta anunciar. Porém, alguns dirigentes temem que o Timão precise elevar muito o valor que pretendia investir em Bruno Henrique, e mesmo que já haja aproximação de algum clube de fora do país por ele.

O último prazo mencionado oficialmente por um dirigente do Corinthians (Alessandro, o gerente de futebol, em entrevista ao L!) foi “as semanas livres do Brasileirão”. Esta semana, que antecede o jogo contra o Internacional, é a quarta e última sem compromissos, mas ainda não há uma previsão para a concretização da renovação. Segundo o clube, “está perto”. A Fiel espera ansiosa.