RADAR/LANCE!
30/11/2016
17:29
Chapecó (SC)

Membros da diretoria da Chapecoense concederam entrevista nesta quarta-feira, um dia após a tragédia que matou jogadores, o técnico Caio Júnior, outros membros da comissão técnica e também da direção. Na coletiva, foram citados os passos para a reconstrução do clube após o acidente.

Os dirigentes da Chapecoense agradeceram o apoio de todos que se solidarizaram e discorreram sobre temas como a questão de empréstimos de jogadores propostos por diversos clubes do Brasil, a disputa da última partida do Campeonato Brasileiro, diante do Atlético-MG, bem como o esforço necessário para 'começar do zero'. Confira abaixo os principais pontos da coletiva:

IVAN TOZZO - PRESIDENTE EM EXERCÍCIO DA CHAPECOENSE:

​RECONSTRUÇÃO DA CHAPE E APOIO DOS CLUBES E DA CBF:

Nós somos um time de menor expressão do Brasil. Vamos precisar de muito apoio dos clubes, da Rede Globo, da CBF e de todos para reerguer nosso time. Nós perdemos todos os valores, vamos ter que começar tudo do zero. Desde 2009. Nós não temos onze jogadores para por em campo. Nós precisamos de apoio, principalmente da CBF e da Rede Globo. Precisamos da união e boa vontade de todos.


'COMEÇAR DO ZERO'

Nosso clube está bem estruturado. Perdemos os atletas, comissão, mas estamos bem estruturados. Não nós fizemos nada de diferente. Fomos uma família, bem organizados, e tomamos decisões juntas. Presidente nunca tomou uma decisão sozinho. Claro que vamos perder muito com isso, mas para o ano que vem precisamos adquirir todos os atletas. Já tínhamos uma base montada e a partir de ano que vem vamos, praticamente, começar do zero. Repito, estamos bem estruturados.

JOGO DA ÚLTIMA RODADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO 

Conversei com o presidente Del Nero e ele disse que fará da última rodada, contra o Atlético-MG, um grande evento em Chapecó. Eu disse que não temos onze para colocar em campo, e ele disse que temos base, juniores e alguns no departamento médico. Del Nero falou que não importa o resultado, mas que a cidade terá uma festa que o Brasil merece

'SENTIMENTO DE VAZIO'

A Chapecoense está no meu coração, estou desde 2008 na diretoria. Agora é um momento difícil pra nós. Chegar na sala de direção e só ver cadeiras é muito difícil. Eu também estava na relação para viajar. É muito difícil pra nossa diretoria resolver esses problemas. Um acidente desse jamais alguém vai estar preparado para reorganizar tudo. Estamos fazendo o máximo, mas tudo certo não vai dar. Quero que entendam que as dificuldades são muito grandes. Estamos sem dormir pensando em todas as situações. Cada departamento vai resolver um problema. Vamos fazer a substituição de nomes, sentar, conversar e ver como faremos a eleição para dar continuidade ao clube.

PLANOS DE SÓCIOS

Recebi telefonemas, antes mesmo do acontecido, de presidentes de clubes querendo ir para Chapecó querendo saber o que nós fizemos. Vamos explicar para todos. A dimensão que a gente tem, jamais alguém imaginou. Só para ter uma ideia, abrimos o site ontem e montamos um plano de sócio. De ontem para hoje, 13 mil pessoas querem se associar fora de Chapecó. Isso demonstra o trabalho que fizemos e que o povo quer colaborar.

***


LUIZ ANTÔNIO PALAORO - VICE-PRESIDENTE JURÍDICO DA CHAPECOENSE

EMPRÉSTIMO DE JOGADORES


Temos que analisar bem isso. Se cada clube quiser nos ofertar um jogador, vamos analisar.

TÍTULO DA SUL-AMERICANA 

Teve contato só da CBF. Da Conmebol teve comunicado mas nada de título e essas coisas. O presidente Del Nero (da CBF) vai entrar em contato com a Conmebol para dividir o título. Acho bom, acho que é merecido. Porque nosso time acabou, o que vamos fazer? Não estamos deixando de ir jogar. 

​***

GELSON DALLA COSTA - VICE-PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DA CHAPECOENSE

PERMANÊNCIA NA SÉRIE A PELOS PRÓXIMOS TRÊS ANOS

Formação do departamento de futebol, comissão técnica primeiro. No momento em que a CBF, atendendo a solicitação dos clubes, homologue a garantia de três anos na Série A, será parte do procedimento de reconstrução do time. A cota de televisão hoje é a grande fonte de renda dos clubes brasileiros e vamos pedir ajuda a Rede Globo, patrocinadora do Brasileirão.