Itambé/Minas saiu na frente nas semifinais

Itambé/Minas saiu na frente nas semifinais (Orlando Bento/MTC)

Web Vôlei
01/04/2019
23:37
São Paulo

O Itambé/Minas, melhor time da fase de classificação, levou um susto, mas se recuperou em tempo para abrir 1 a 0 na série em melhor de três das semifinais da Superliga Cimed feminina de vôlei.

Na noite desta segunda-feira, vitória sobre o Osasco/Audax, na Arena Minas, em Belo Horizonte, por 3 sets a 1, parciais de 24-26, 25-15, 25-17 e 25-13.

A levantadora Macris foi eleita a melhor do jogo e faturou o Troféu VivaVôlei. A distribuição dos pontos ajuda a explicar a escolha. Gabi terminou a partida com 17 acertos, dois a mais do que Natália e Mara. Gattaz fez 14 e Bruna Honório, 13. Hooker anotou 12 para as visitantes.

Na próxima segunda-feira, às 21h30, no Ginásio José Liberatti, em Osasco, o Minas terá o primeiro “match point” para buscar a vaga na decisão da competição, a primeira aparição em 14 anos. Vitória das donas da casa forçará a realização do terceiro e decisivo confronto, outra vez em BH.

O primeiro set foi um sinônimo da campanha de Osasco na temporada: superação. O time de Luizomar de Moura ficou quase atrás do placar. Chegou a ver o Minas abrir 20 a 16, com controle das ações. Até a reação espetacular acontecer, protagonizando uma virada incrível para calar o ginásio do Minas Tênis Clube.

O susto fez o campeão sul-americano e da Copa Brasil despertar na segunda parcial. De cara, abriu 7 a 2, destruindo a recepção de Osasco com um saque poderoso. Já Macris começou a abusar das jogadas de efeito, colocando todas as atacantes no jogo. Luizomar mexeu em todas as posições. Em vão! O melhor Minas voltou a ser visto, apesar de um momento de instabilidade de Natália no passe.

E a intensidade mineira continuou no terceiro set. O bloqueio do Minas parou Hooker, Mari Paraíba… E a vantagem no placar saltou de 9 a 7 para 16 a 7. A torcida inflamou de vez, o saque seguiu incomodando a peruana Leyva e a virada foi confirmada com outro resultado dilatado: 25 a 17.

A ducha de água fria do Minas no Osasco aconteceu logo no início do quarto set. Foram dois bloqueios em Hooker e o tempo pedido por Luizomar já com 4 a 1 no placar. Num piscar de olhos, mais alguns blocks e a diferença subiu para 9 a 3. Com Mari Paraíba assumindo a bola de segurança, o time paulista ainda esboçou uma reação, mas o Minas não fraquejou, voltou a engatar a quinta marcha, até fechar a vitória por 3 a 1.

Foram 14 pontos de bloqueio das mineiras na partida, seis apenas de Gabi.

Na outra partida da segunda-feira, o Dentil/Praia Clube foi até o interior paulista e derrotou o Sesi Bauru em sets diretos.

Itambé/Minas: Macris, Bruna Honório, Natália, Gabi, Carol Gattaz, Mara e Léia (líbero). Entraram: Lana, Bruninha, Mayany, Malu. Técnico: Stefano Lavarini.

Osasco/Audax: Claudinha, Hooker, Mari Paraíba, Paula Pequeno, Walewska, Nati Martins e Camila Brait (líbero). Entraram: Kika, Carol Albuquerque, Lorenne, Leyva, Natasha. Técnico: Luizomar de Moura.