Sesi levou a melhor em casa neste sábado

Sesi levou a melhor em casa neste sábado (Caio Rocha/Sesc)

Web Vôlei
13/04/2019
21:05
São Paulo

O Sesi SP está na final da Superliga Masculina de vôlei pelo segundo ano consecutivo e pela quinta vez na sua história. O time do técnico Rubinho derrotou o Sesc RJ por 3 sets a 0 – com um triplo 25/21 -, na noite deste sábado, no Ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo (SP), em 1h24min de partida, e fechou a série melhor de cinco das semifinais da competição em três jogos.

Os paulistas venceram o primeiro confronto, semana passada, em casa, por 3 a 0 e ganharam o segundo duelo, quarta-feira, por 3 a 2, de virada, no Rio de Janeiro (RJ).

A equipe de São Paulo aguarda agora a definição do seu adversário na final, que sairá do confronto entre EMS/Taubaté/Funvic e Sada/Cruzeiro. Os dois times se enfrentam no Ginásio do Riacho, em Contagem (MG), pelo terceiro confronto da série. Os paulistas vencem o playoff por 2 a 0 e também têm a chance de se garantir na decisão já neste sábado.

O oposto Alan, do Sesi, foi o maior pontuador da partida, com 18 pontos e foi eleito o melhor jogador da partida, ficando com o troféu VivaVôlei. Pelos donos da casa, o ponteiro Lipe e o central Gustavão marcaram 8 pontos cada um. Lucas Lóh marcou 6, e o central Éder, 5.

Pelo Sesc RJ, o maior pontuador foi Wallace, com apenas 10 pontos, muito abaixo da pontuação que costuma fazer. Os centrais Aracaju e Maurício Souza marcaram 7 pontos cada um e o ponteiro búlgaro Penchev, 6.

Venceu a equipe de melhor campanha na primeira fase da Superliga. O Sesc RJ chegou a estar na frente em alguns momentos no primeiro set – quando abriu três pontos de vantagem -, e no terceiro, mas prevaleceu a melhor organização tática do rival, com um saque mais potente e um bloqueio eficiente que, amortecia as bolas para os contra-ataques com Alan, em noite inspiradíssima.

Dono do troféu VivaVôlei, o oposto comentou o bom momento do Sesi SP.

- Nossa equipe está vindo muito bem, nos último jogo eu não fui bem e o pessoal do banco entrou e deu conta do jogo. Hoje conseguimos impor nosso jogo. A equipe chega fortalecida para a final - disse Alan.

Maior pontuador da Superliga, o campeão olímpico Wallace comentou a eliminação carioca.

- Acho que foi um ano atípico, meu primeiro ano no Sesc. As lesões não são uma desculpa, mas atrapalharam. Fizemos um excelente primeiro turno e no segundo tivemos derrotas para equipes que não estavam no nosso script. Mas acho que dá para tirar de bom as quartas de fina contra o Minas, uma equipe chata de jogar… No primeiro jogo da semi, aqui, não jogamos bem… levamos a virada em casa…. Fica uma sensação de um pouco frustração. Agora é que conseguimos jogar mesmo com a equipe titular com Borges e Penchev, mas isso não é desculpa. O Sesi fez por onde - disse oposto.