Minas passou pelo Taubaté

Minas passou pelo Taubaté (Nilton Wolff/Divulgação)

Web Vôlei
27/01/2019
00:43
São Paulo

O time que entrou na oitava e última vaga na Copa Brasil masculina de vôlei derrubou dois favoritos e está na final. O Fiat/Minas, que terminou o turno da Superliga Cimed 2018/2019 em oitavo, eliminou o líder Sesc RJ por 3 sets a 2, nas quartas, e derrotou, na noite deste sábado, o EMS/Taubaté/Funvic também no tie-break - parciais de 34/32, 20/25, 20/25, 25/22 e 15/9 -, no ginásio Jones Minosso, em Lages (SC), em um jogo sensacional.

Com o resultado, o time do técnico Nery Tambeiro garantiu vaga final. O adversário na decisão, neste domingo, às 19h30, com transmissão pelo SporTV 2, é o Sada/Cruzeiro, atual campeão da competição, que derrotou o Copel Telecom/Maringá na outra semifinal, por 3 sets a 1, e busca o tetracampeonato do torneio. A equipe celeste, atual campeã da Superliga, é também a atual líder isolada da temporada 2018/2019. Os dois times se enfrentaram na final do Campeonato Mineiro de 2018, com vitória celeste por 3 sets a 2.

O oposto Davy, da jovem equipe do Minas, saiu do banco de reservas para ser o grande nome da virada minastenista. Depois de um bom primeiro set, com a vitória mineira por 34 a 32, o titular Felipe Roque oscilou e passou a errar muito - principalmente no ataque e no saque. O Minas tomou a virada, em sets, 2 a 1, e Davy entrou no lugar do gigante de 2,12m, fazendo uma grande partida, garantindo contra-ataques difíceis e bloqueando e sacando com eficiência nos momentos decisivos.

Lucarelli foi o grande nome do Taubaté, que sentiu a pressão no tie-break e não conseguiu impor sua superioridade, com um time recheado de nomes como Lucão, Douglas Souza e Leandro Vissotto.

- Sofremos com controle de ansiedade. Tivemos isso no início do primeiro set, depois no segundo e terceiro. Eu falei para o grupo: "Não vamos sofrer com isso. Precisamos ter coragem e determinação".  Depois o time relaxou, voltou a ser mais corajoso. Davy e Piá entraram bem e nós recuperamos a essência. A insegurança passou e o time começou a render - comentou o experiente levantador Marlon, de 41 anos.

Já Lucarelli exaltou a atuação dos mineiros.

- Eles não são surpresa. tiraram o Sesc e ganharam de nós com méritos, Ter o passe na mão foi um facilitador para o Marlon durante o jogo.