Brasil x Holanda vôlei

Brasil sofreu contra a Holanda e perdeu a primeira no Campeonato Mundial (Foto: Divulgação / FIVB)

LANCE!
15/09/2018
16:51
Ruse (BUL)

A Holanda não parecia uma ameaça para a Seleção Brasileira masculina de vôlei. Mas a corrida pelo tetracampeonato do Mundial ficou marcada por um tropeço neste sábado. Os europeus saíram atrás contra os atuais campeões olímpicos, mas venceram a partida por 3 sets a 1, com parciais de 21-25, 25-20, 25-20 e 25-21, em Ruse (BUL), pela terceira rodada.

O resultado fez o Brasil cair para a quarta colocação no Grupo B, com cinco pontos, e deixou uma frustração. A equipe verde e amarela tinha a expectativa de encerrar a primeira fase na liderança, o que permitiria um cruzamento mais favorável na segunda etapa. A Seleção volta a jogar na segunda-feira, às 14h30 (de Brasília), contra o Canadá, líder e único invicto na chave até agora. 

A Holanda construiu a virada com uma defesa consistente e muita inteligência para definir os contra-ataques. Foi uma atuação bem diferente das três que a equipe teve contra os brasileiros nos amistosos preparatórios para o Mundial. Os comandados de Renan triunfaram em todos, em casa, em agosto. O técnico Guido Vermeulen surpreendeu na escalação, ao mandar para a quadra um sexteto diferente do que havia vencido a China, na sexta-feira.

O Brasil, que teve o levantador Bruninho, o oposto Wallace, os ponteiros Douglas e Kadu, os centrais Isac e Lucão e o líbero Thales, iniciou o jogo com a confiança mostrada na vitória difícil sobre a França, por 3 a 2, na quinta-feira. Mas o grupo perdeu a confiança diante do crescimento dos adversários.

O ponteiro Lipe, que seria poupado de jogos teoricamente mais fáceis devido a dores no cotovelo direito, precisou ser acionado por Renan, na vaga do jovem Kadu. O comandante também tentou fortalecer o bloqueio, com a entrada de Maurício Souza na vaga de Isac. 

O destaque da partida foi o oposto Wouter Ter Maat, da Holanda, com 16 acertos. Pela Seleção, Douglas e Lucão foram os principais pontuadores, com 13 acertos.

– Quando acabou o jogo contra a França, falamos: "atenção com a armadilha". Jogamos no lixo uma oportunidade grande de terminar a fase de classificação em primeiro. Agora, será muito difícil. É levantar a cabeça, trabalhar, pegar o caminho mais difícil e bola para frente – disse Lipe, ao SporTV. 

O Brasil é tricampeão do mundo após conquistar os títulos em 2002, 2006 e 2010. Em 2014, fez a quarta final consecutiva, mas acabou superado pela Polônia, que jogava em casa, e ficou com a medalha de prata.