LANCE!
12/10/2021
14:58
Manaus (AM)

O zagueiro Thiago Silva falou sobre o fato de seu colega de Seleção Brasileira, Neymar, cogitar que a Copa do Mundo de 2022 será a última na qual vestirá a camisa canarinha. Em entrevista coletiva nesta terça-feira (12), o defensor destacou. 

>>>> Veja a classificação das Eliminatórias da Copa do Mundo!

- É uma situação bem difícil. Embora a gente sofra pressão de todos os lados, parece uma pressão pessoal sobre ele. Estamos deixando de lado o que o Neymar está fazendo dentro de campo. É claro que ele se cobra muito. Sabe que não fez um jogo "de Neymar", como costumamos falar. Mas a cobrança não vem sendo de acordo com o que ele faz em campo - e traçou um paralelo com o que passou no Mundial de 2014:

- Fui chamado de chorão, psicologicamente fraco, coisas que sei que não sou. Espero que ele consiga superar, pois o Neymar dá conta com recado quando está bem. Quanto mais ele estiver contente, melhor será para Seleção - completou.

Thiago Silva
Thiago Silva saiu em defesa de Neymar (Reprodução / CBF TV)

O zagueiro, que completou 100 jogos com a camisa da Seleção Brasileira, pediu um pouco mais de cuidado.

- Independentemente do jogador, a gente tem que ter um pouco mais de tranquilidade e análise da situação. Porque por vezes a gente fala, depois se arrepende e pede desculpa. Nós jogadores não temos esse tempo. Sofremos críticas e pressão. Quando a pessoa fala determinada coisa, no dia seguinte pede desculpa como se não tivesse acontecido nada. A gente sabe da responsabilidade aqui dentro. Mas em relação as coisas externas, não temos muito o que fazer. Temos que desempenhar o melhor possível e conseguir vitórias, como temos feito nos últimos jogos - e apontou:

- Temos sido criticados pela forma que jogamos. O momento não é dos melhores, apesar dos resultados positivos. É momento do homem testar uma ou outra situação. Raphinha e Antony tem entrado bem nos jogos. Se ele testa está errado, se não testa está errado. Precisamos entender o lado dele. O quanto é difícil escalar e convocar a Seleção Brasileira. As pessoas só pensam do lado delas e esquecem do outro, do humano. Estou feliz pois estamos na direção certa. Não temos que ficar pensando no passado, mas sim tentar resolver o que podemos resolver - completou.

Perguntado sobre o centésimo jogo, o zagueiro foi categórico.

-  É um dia importante, embora já tenhamos uma idade bem importante. Uma experiência diferenciada. Mas temos sempre o sonho de criança. A gente vai sempre em busca do que sonhamos. Se estou aqui hoje é por um sonho. Lembrar do meu primeiro presente é muito fácil. Uma bola de futebol, jogando no quintal de casa. Pelada na rua, cheio de pedra, furando o pé - declarou.

Thiago Silva também recordou seus momentos quando era criança.

- A infância foi assim. Eu procuro sempre lembrar desses momentos, pois nem tudo foi felicidade nas nossas vidas. Sempre passamos por dificuldades e aprendizados. Fico muito feliz de completar 100 jogos. Continuando em busca dos meus sonhos. Como o Dani Alves fala, uma pessoa sem sonho é uma pessoa morta. Espero que todos nós possamos continuar com nossos sonhos - assegurou.