Peru x Brasil - Comemoração

'O pai tá on!': Neymar fez história (Foto: AFP)

Vinícius Faustini
13/10/2020
23:13
Lima (PER)

A Seleção Brasileira passou por momentos desafiadores no Estádio Nacional de Lima. Mas, em noite na qual Neymar fez três gols e chegou a 64 gols com a camisa canarinha (se tornando segundo maior artilheiro da história) e Richarlison, a equipe comandada por Tite derrotou o Peru por 4 a 2 na noite desta terça-feira. Os peruanos, com Carrillo e Tapia, ficaram duas vezes na frente do marcador e deram sufoco à zaga brasileira, em jogo válido pela segunda rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. 

Com o resultado, o Brasil vai a seis pontos e à liderança da competição. Os peruanos seguem com um ponto. 

MAS QUE SUFOCO...

A Seleção Brasileira passou por apuros logo no início. Aquino girou como quis sobre Douglas Luiz e fez o passe. Marquinhos rebateu e a bola caiu nos pés de Carrillo. O camisa 18 aproveitou o cochilo da marcação brasileira finalizou de bate-pronto e superou Weverton. Minutos depois, Marquinhos saiu com dores musculares e deu lugar a Rodrigo Caio. A equipe de Ricardo Gareca continuou a pressionar a saída de bola adversária e levou perigo em contra-ataque. Após boa troca de passes, González finalizou nas mãos do goleiro brasileiro.    

NEYMAR É UM FENÔMENO!

O Brasil depositou as fichas em jogadas pelos lados, confiante em especial na habilidade de Neymar e em investidas com Richarlison. Em uma delas, o "Pombo" alçou para a área e a zaga peruana cortou parcialmente. Na sobra, Danilo cruzou e Neymar foi puxado dentro da área, e o pênalti foi assinalado pelo árbitro. Com frieza, o camisa 10 cobrou rasteiro, deslocando o goleiro Gallese. A bola ainda bateu na trave antes  de entrar no gol de número 62 do atacante, que se tornou o segundo maior artilheiro da história da Seleção, ao lado de Ronaldo.

Aos 29 minutos, o astro voltou a balançar as redes de maneira curiosa. Ao dividir uma bola com um zagueiro peruano, a bola explodiu no camisa 10 e entrou. No entanto, a jogada foi anulada por impedimento de Richarlison. Roberto Firmino e Casemiro ainda tiveram oportunidades de garantir a virada, mas não tiveram sucesso. 

FORTES EMOÇÕES

A volta do intervalo trouxe novas dores de cabeça para a Seleção Brasileira. Com marcação frouxa, a equipe abriu espaços para investidas peruanas. Trauco surgiu livre na esquerda e obrigou Weverton a fazer defesa. Em seguida, uma cobrança de lateral expôs novo erro defensivo. A zaga rebateu para a entrada da área e, na sobra, Tapia finalizou. A bola bateu nas pernas de Rodrigo Caio e traiu Weverton.

EMPATE COM MUITA ESPERA DO VAR

Diante do recuo peruano, a Seleção Brasileira se lançou à frente. Renan Lodi cruzou, mas a zaga cortou passe que iria para Roberto Firmino. Mas em cobrança de escanteio, o empate veio. Após cobrança de escanteio de Neymar, Firmino escorou e Richarlison mandou para a rede. O gol foi ratificado após longos quatro minutos pelo VAR.

NEYMAR FAZ HISTÓRIA

Com as entradas de Everton Ribeiro e Everton "Cebolinha", a Seleção Brasileira ganhou outra dinâmica. Everton Ribeiro recebeu passe de Neymar, mas finalizou mal. Aos 34, a visão de jogo de Richarlison abriu caminho para a virada. Everton cruzou e Neymar foi derrubado por Zambrano. Com calma, o camisa 10 voltou a deslocar Gallese e entrou para a história ao marcar seu gol de número 63, isolando-se como segundo maior artilheiro da história da Seleção Brasileira.

O jogo voltou a ter doses de nervosismo, com direito a entradas ríspidas e Zambrano ser expulso por uma cotovelada em Richarlison. Só que o Brasil foi se impondo. Em outra investida de Cebolinha, Everton Ribeiro irrompeu na área e tirou do goleiro. Mas a noite era do camisa 10. A bola carimbou a trave e Neymar marcou seu terceiro gol na partida (o seu de número 64 na Seleção). A vitória estava sacramentada.


FICHA TÉCNICA

PERU 2x4 BRASIL

Local: Estádio Nacional, em Lima, no Peru
Data/Hora: 13 de outubro de 2020, às 21h
Árbitro: Julio Bascuñán (CHI)
Assistentes: José Retamal (CHI) e Raul Orellana (CHI)
Árbitro de vídeo: Piero Maza (CHI)

Cartões amarelos: Tapia, González (PER)

Cartão vermelho: Zambrano (PER)

Gols: Carrillo, 5/1T (1-0), Neymar, 25/1T (1-1), Tapia, 13/2T (2-1), Richarlison, 19/2T (2-2), Neymar, 34/2T (2-3) e Neymar, 48/2T)

PERU: Pedro Gallese; Luis Advíncula, Carlos Zambrano, Luis Abram, Miguel Trauco; Pedo Aquino, Yoshimar Yotún e Renato Tapia (Cueva, 44/2T); André Carrillo, Christofer Gonzales (Araujo, 45/2T) e Jefferson Farfán (Polo, 51/2T). Técnico: Ricardo Gareca

BRASIL: Weverton, Danilo, Thiago Silva, Marquinhos (Rodrigo Caio, 11/1T) e Renan Lodi (Alex Telles, 24/2T); Casemiro, Douglas Luiz, Philippe Coutinho (Everton Ribeiro, 24/2T) e Neymar; Richarlison e Roberto Firmino (Everton, 24/2T). Técnico: Tite