David Nascimento
02/07/2019
23:31
Rio de Janeiro (RJ)

Jesus é brasileiro! Sempre foi, é e sempre será. Na noite desta terça-feira, no Mineirão, pela semifinal da Copa América, os deuses do futebol mostraram, mais uma vez, que o Brasil é superior à Argentina. Em partida sensacional de Gabriel Jesus, que fez um gol e deu assistência para Roberto Firmino fazer o segundo, os comandados de Tite venceram os hermanos por 2 a 0 e garantiram a classificação à final da competição.

A final da Copa América será disputada às 17h de domingo, no Maracanã. O Brasil espera pelo vencedor da outra semifinal - Chile e Peru duelam na noite desta quarta-feira, na Arena do Grêmio. A Argentina volta a campo no sábado, às 16h, na Arena Corinthians, para a disputa do terceiro lugar - o adversário será o perdedor da semifinal que será disputada no Rio Grande do Sul.

SUPERIORIDADE JUSTIFICADA
O Brasil começou melhor o jogo. Pressionando a saída de bola da Argentina, os comandados de Tite buscavam, a todo momento, oportunidades de ataque, criando alternativas ofensivas que os hermanos não conseguiam responder. E não demorou muito para a Seleção Brasileira abrir o marcador, fazendo jus ao melhor desempenho - com Gabriel Jesus, o nome do jogo, aos 18 minutos. Em grande jogada de Daniel Alves, Jesus escorou após cruzamento de Firmino, sem chance de defesa do goleiro Armani. Um golaço!

HERMANOS MELHORAM
Depois de sofrer o gol, a Argentina melhorou no jogo, passando a não dar tantos espaços no meio de campo, que estavam sendo aproveitados pelo Brasil. Aos 29, Agüero cabeceou no travessão, após cobrança de falta de Messi. Marquinhos evitou uma jogada perigosa seis minutos mais tarde, mas a partida acabou indo para o intervalo com a vitória parcial da Seleção Brasileira por 1 a 0. Nos vestiários, Tite e Lionel Scaloni teriam a missão de manter o ritmo pela vaga na decisão.

TRAVE SALVA O BRASIL
Na volta para o segundo tempo, o Brasil não foi tão efetivo como era o esperado, até por conta do placar favorável que era computado. A Argentina, por sua vez, lançava-se ao ataque, já que os minutos iam passando e a consequente eliminação da Copa América ficava cada vez mais próxima. O goleiro Alisson foi exigido aos quatro, aos seis e, aos 11, a trave salvou o Brasil de levar o empate dos hermanos - em tentativa de Messi, depois de contra-ataque puxado por Lautaro Martínez.

JESUS É BRASILEIRO!
Chegando próximo ao fim do jogo, os ânimos ficavam mais exaltados, com cada jogada sendo pensada de forma criteriosa, diminuindo as chances de um erro - o que, neste momento, seria fatal para a seleção que cometesse. E Gabriel Jesus, mais uma vez, mostrou a sua qualidade e participou do gol que confirmou a classificação à final da Copa América. Aos 25 minutos, ele puxou contra-ataque, na velocidade, passou com facilidade por Otamendi e mandou para Roberto Firmino estufar as redes: 2 a 0. Até o fim da partida, a Argentina tentou reagir, mas sem sucesso. Vitória consolidada da Seleção Brasileira, que chega no embalo na final, buscando mais um título!

FICHA TÉCNICA
BRASIL 2 X 0 ARGENTINA


Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 2/7/2019, 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Roddy Zambrano (EQU) - Nota LANCE!: 5,5 (não influenciou no resultado, mas parou muito o jogo, atrapalhando o andamento da partida)
Assistentes: Christian Lescano (EQU) e Byron Romero (EQU)
Árbitro de vídeo: Leodan González (URU)
Público/renda: 52.235 pagantes/R$ 18.744.445,00
Cartões amarelos: Daniel Alves e Allan (BRA) e Tagliafico, Acuña, Foyth, Lautaro Martínez, Lionel Scaloni e Agüero (ARG)
Cartão vermelho: Não houve

GOLS: Gabriel Jesus 18'/1ºT (1-0) e Roberto Firmino 25'/2ºT (2-0)

BRASIL: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos (Miranda, 18'/2ºT), Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro e Arthur; Gabriel Jesus (Allan, 34'/2ºT), Philippe Coutinho e Everton (Willian - Intervalo); Roberto Firmino. Técnico: Tite.

ARGENTINA: Armani, Foyth, Pezzella, Otamendi e Tagliafico (Dybala, 39'/2ºT); De Paul (Lo Celso, 21'/2ºT), Paredes e Acuña (Di María, 13'/2ºT); Messi, Lautaro Martínez e Agüero. Técnico: Lionel Scaloni.