Milene e Andressa Alves - Seleção Feminina

Milene e Andressa Alves concederam entrevista nesta segunda-feira (Foto: Alexandre Guariglia/Lancepress!)

Alexandre Guariglia
26/08/2019
20:04
São Paulo (SP)

Após o treino da Seleção Brasileira Feminina na tarde desta segunda-feira, no CT do São Paulo, a assessoria de imprensa da CBF escolheu duas jogadoras para conceder entrevista coletiva: as atacantes Andressa Alves e Milene. Como não poderia deixar de ser, um dos temas citados foi o corte de Marta, por lesão. Apesar de lamentarem o desfalque, ambas entendem que é preciso abrir espaço para revelações e o ambiente do grupo facilita essas "entradas".

Questionada sobre a ausência da camisa 10 do Brasil, Andressa, que recentemente trocou o Barcelona pela Roma, falou da falta que a companheira vai fazer, porém ressaltou que em algum momento esses pilares da Seleção irão se aposentar, e há a necessidade que se olhe para novas atletas.

- Marta é a Marta, então ela sempre vai fazer falta para a gente, fico muito triste que ela tenha se lesionado, porque eu sei que ela estava fazendo uma temporada boa no Orlando (Pride), então espero que ela possa se recuperar primeiro, porque ela sabe que é uma peça fundamental, assim como Formiga e a Cristiane, que está lesionada, elas são pilares da Seleção. Mas que a gente não se apegue somente às três, porque um dia as três vão parar, e vão ter que surgir outras Yayás, outras Milenes, que vem arrebentando no Brasileirão, então a gente vai ter que ter na cabeça que o futebol brasileiro tem muitas craques além das três - pontuou Alves.

Uma dessas potenciais substitutas para o papel que as três citadas acima têm no futebol feminino é a meio-campista Yayá, do São Paulo, que aos 17 anos recebeu a oportunidade de integrar o selecionado nacional. Para Andressa, o ambiente criado pelas jogadores tem sido fundamental para que esses novos valores se adaptem rapidamente ao dia a dia do grupo.

- Acho que é muito importante, é a primeira convocação da Yayá, eu também já passei por isso, a primeira vez que eu fui convocada foi em um torneio também, e estavam todas as minhas jogadoras favoritas, então eu tive esse apoio e acho que a gente precisa deixar todas bem à vontade. N primeira vez você acaba ficando um pouco tímida, fica com medo de errar um passe, fazer uma jogada diferente, você tem que fazer o que faz no seu clube, ficar à vontade, porque a gente está aqui para somar - avaliou.

Milene aproveitou o gancho da companheira e exaltou a união das atletas, que acabam formando uma família e mesmo longe em boa parte do ano, elas utilizam esses momentos ao máximo para aproveitar a convivência.

- É um momento que a gente tem que pensar que é a nossa família, a gente fica muito tempo longe, o tempo todo, e quando a gente está junta, a gente tem que se abraçar mesmo e ter esse contato, essa proximidade, é fundamental, e isso faz toda a diferença para quem chega, para ficar mais leve, o ambiente fica mais gostoso - concluiu a corintiana.

O Brasil estreia nesta quinta-feira, no Torneio Uber Internacional de Futebol Feminino, contra a Argentina, às 21h30, no Pacaembu. Caso triunfe no duelo, enfrentará o vencedor de Chile x Costa Rica na final da competição, no próximo domingo, às 13h, no Pacaembu, caso perca, disputa o 3º lugar às 10h30.