Jesualdo e Peres

José Carlos Peres não esteve presente na demissão de Jesualdo (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Fábio Lázaro
09/08/2020
10:55
Santos (SP)

Demitido do comando do Santos na última quarta-feira (05), o técnico Jesualdo Ferreira não escondeu a sua insatisfação com o presidente José Carlos Peres, pela forma no qual foi dispensado.

O treinador acredita que a equipe vinha em evolução, mesmo com uma série de problemas políticos e administrativos, que respingaram no campo nos seus últimos quatro jogos, como uma sequência de expulsões e viradas sofridas .

– Após quatro meses de paragem regressamos ao trabalho e os problemas do cube aumentaram e prejudicaram o rendimento de todos. As expulsões em todos os jogos quando já estávamos em vantagem, a rescisão de contrato de jogadores e o sentimento de insatisfação indicaram o desequilíbrio emocional que reinava na equipe – escreveu em sua coluna no jornal português “O Jogo” neste domingo (09).

– Fomos interpretados pela direção do clube com a necessidade de mudar, não o rumo que o clube levava, mas sim o treinador. Medida muito fácil de tomar, no caso, de pouca coragem do presidente – acrescentou.

Mesmo com a demissão, dias antes de completar sete meses no Alvinegro Praiano, Jesualdo Ferreira se diz com o sentimento de dever cumprido. O profissional agradeceu o carinho dos torcedores enquanto esteve no Brasil.

– Os adeptos do Santos, torcedores no Brasil, são realmente excepcionais, e a eles quero deixar um abraço e um muito obrigado. Foi um prazer treinar o Santos – mencionou.

Elogios a William Thomas

Em seu artigo, Jesualdo fez menção especial ao ex-superintendente de futebol, William Thomas, que pediu demissão do seu cargo no dia seguinte à sua dispensa, e esclareceu o trabalho de integração das categorias de base com o elenco profissional, que era feito em conjunto entre comissão técnica e Departamento de Futebol.

– Importa esclarecer e lembrar alguns mais esquecidos, que o meu trabalho no Santos foi para além de treinar e dirigir a equipe profissional. Em conjunto com o William Thomas uniformizamos os processos de treino e avaliação de jogadores doo sub-20 e equipe B – disse.

– William Thomas, um nome, uma pessoa de muito caráter, uma personalidade. Pediu a demissão por não concordar com a minha saída. Na minha carreira nunca conheci ninguém como ele, tão capaz e competente. O clube perdeu a pessoa que podia gerir todo o processo desportivo e comercial de uma marca tão poderosa como o Santos. Obrigado pelo apoio – concluiu.

Jesualdo deixou o Santos com 15 jogos disputados, seis vitórias, quatro empates, cinco derrotas e aproveitamento de 48,8%. O Peixe já anunciou o seu novo treinador: Cuca, que estreará neste domingo (09), às 16h, contra o Red Bull Bragantino, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro.