William Thomas - Santos

William Thomas deixou o Santos poucos dias antes de completar um ano de clube (Foto: Rodrigo Corsi/FPF)

Fábio Lázaro
07/08/2020
16:10
Santos (SP)

No dia seguinte ao seu pedido de demissão, o ex-superintendente de futebol do Santos, William Thomas, emitiu uma nota à imprensa onde explica os motivos que o levaram a tomar a decisão na manhã da última quinta-feira (06).

De acordo com o profissional, a sua atitude foi tomada devido a “incompatibilidade de ideias do que acredita ser o correto no projetos de futebol”.

– O futebol brasileiro necessita urgentemente de profissionalização em todas as camadas de um clube. O jogo também é coletivo fora do campo – e essa engrenagem organizacional é cada dia mais complexa e densa. Logo, a forma de avaliar e tomar decisões deve ser sistêmica, balizada e sustentada por indicadores que mensuraram os impactos, econômicos, organizacionais e desportivos do planejamento estratégicos – disse William.

Mesmo com tais incompatibilidades, o “ex-homem forte” do futebol santista mostrou gratidão pelos 11 meses em que trabalhou no Peixe, e acredita que o clube irá colher frutos positivos, caso mantenha o projeto de reestruturação que ele iniciou.

– Mantenho grande sentimento de orgulho por ter feito parte de sua enorme história. Tenho muita confiança que, se mantido, o projeto de restruturação iniciado meses atrás recolocará o Santos FC em seu tradicional caminho de vitórias e conquistas em um breve futuro, de forma perene e sustentável – escreveu.

– O atual projeto do Santos FC está unificado em toda as categorias, desde o futsal sub-9 ao time principal, com metodologia integrada e respeitando o seu histórico DNA. Isto certamente tornará o processo mais eficaz, promovendo e confirmando sistematicamente jovens atletas ao fim do processo formativo – como já é de tradição do Santos FC. Deixo todas as ações em andamento, com o devido planejamento dos próximos passos; para que se possa obter frutos no futuro, será preciso dar continuidade ao que está planejado – acrescentou.

William Thomas chegou ao Santos em agosto de 2019, sob indicação do então superintendente de futebol, Paulo Autuori, exercendo a função de Diretor Técnico de Futebol. Com a saída de Autuori em novembro do ano passado, também por divergências com a diretoria, Thomas assumiu a função do ex-companheiro.

Confira na íntegra o comunicado emitido por William:

"Cheguei ao Santos Futebol Clube em agosto de 2019. E hoje, pouco mais de um ano depois, me despeço. Decidi deixar o clube por incompatibilidade de ideias do que acredito ser correto nos projetos de futebol, mas mantenho grande sentimento de orgulho por ter feito parte de sua enorme história. Tenho muita confiança que, se mantido, o projeto de reestruturação iniciado meses atrás recolocará o Santos FC em seu tradicional caminho de vitórias e conquistas em um breve futuro, de forma perene e sustentável.

Atualmente, o Santos FC possui no plantel principal jogadores de muito caráter e profissionalismo, e jovens de grande talento em suas categorias de base. Além disso, a grande maioria desses jogadores está amparada contratualmente com uma significativa margem de segurança para o clube. A utilização desses atletas futuramente será a válvula propulsora do reestabelecimento institucional e esportivo do clube. A perpetuação da tradição do Santos FC como clube formador foi uma das principais metas de meu trabalho.

O atual projeto do Santos FC está unificado em todas as categorias, desde o futsal sub-9 ao time principal, com metodologia integrada e respeitando seu histórico DNA. Isto certamente tornará o processo mais eficaz, promovendo e confirmando sistematicamente jovens atletas ao fim do processo formativo – como já é de tradição do Santos FC. Deixo todas as ações em andamento, com o devido planejamento dos próximos passos; para que se possa obter frutos no futuro, será preciso dar continuidade ao que está planejado. No futebol atual, ações não planejadas ou realizadas de forma não-sistêmica não geram mais resultado – ainda mais em curto prazo.

O futebol brasileiro necessita urgentemente de profissionalização em todas as camadas de um clube. O jogo também é coletivo fora do campo - e esta engrenagem organizacional é cada dia mais complexa e densa. Logo, a forma de avaliar e tomar decisões deve ser sistêmica, balizada e sustentada por indicadores que mensuram os impactos, econômicos, organizacionais e desportivos do planejamento estratégico.

Por fim, agradeço ao Santos FC pela oportunidade; aos atletas e aos profissionais com quem convivi durante todo esse período; e, por fim, aos torcedores santistas, que sempre me trataram com muito respeito.

Muito obrigado,

William Thomas"