Fábio Lázaro
07/08/2020
19:03
Santos (SP)

Cuca minimizou os problemas de relacionamento que teve com o presidente José Carlos Peres na sua última passagem, entre julho e dezembro de 2018. De volta ao Peixe menos de dois anos depois, ainda na gestão de Peres, que se encerra neste ano, o treinador mencionou o seu respeito pelo mandatário santista.

– Foram problemas pequenos, sempre tive máximo respeito pelo presidente, a figura máxima. Venho para ajudar o Santos, vai ser bom para mim. Preciso fazer trabalho bom e estou determinado – disse na entrevista coletiva virtual que marcou a sua apresentação, nesta sexta-feira (07).

De acordo com o técnico, os seus atritos se deram mais pelos locais dos jogos, que Cuca acreditava que deveriam acontecer mais na Vila Belmiro, enquanto presidente crê necessidade em dividir os mandos entre Baixada Santista e Capital.

– Os problemas foram mais em relação ao jogo, ao local do jogo. Eu achava que poderiam ser aqui, enfim – afirmou.

Em uma autoavaliação, Alexi Stival considerou que amadureceu no intervalo em que esteve fora do clube.

– Cada ano é de amadurecimento, como ser humano e profissional. Foi muito bom essa parada, a gente reflete muito, entende e sabe que ser humano só sai dessa se for mais parceiro do próprio ser humano. Estamos todos envolvidos nessa pandemia, tudo muito estranho – pontuou.

José Carlos Peres esteve à frente da negociação que confirmou o retorno de Cuca, concretizada na tarde de hoje. Nesse meio tempo, o então superintendente de futebol, William Thomas, que não era favorável a demissão de Jesualdo Ferreira, consumada nesta quarta-feira (05), pediu desligamento do Alvinegro Praiano alegando incompatibilidade de ideias.

José Carlos Peres e Cuca
Em 2018, Cuca e Peres tiveram alguns problemas de relacionamento (Foto: Ivan Storti/Santos)