Ônibus do Palmeiras depois de ataque

Ônibus do Palmeiras ficou com marcas depois do ataque de antes do jogo (Foto: Reprodução)

Thiago Ferri
11/04/2019
07:00
São Paulo (SP)

O Palmeiras diz que irá colaborar com a Polícia Militar para entender quem atacou o ônibus da delegação antes do jogo contra o Junior Barranquilla (COL) e cogitava fazer uma emboscada para depois do confronto. Ainda há poucos detalhes sobre o caso, que fez jogadores e comissão técnica saírem com um esquema de segurança especial do Allianz Parque.

Há um vídeo com o momento em que o veículo é acertado por diversos objetos, já próximo da arena. A PM pegou duas pessoas que estavam no ato, mas não foram divulgadas suas identidades. Algumas das que aparecem nas imagens, inclusive, nem estão com uniforme do Palmeiras.

Graças à detenção da dupla é que foram descobertos indícios de um possível novo ataque depois da partida. O ônibus, danificado pelos acontecimentos de mais cedo, saiu com proteção maior da arena. Não foram reportados outros problemas após o triunfo por 3 a 0.

O trajeto feito pelo veículo com os batedores da PM não foi o mesmo de sempre: normalmente, o ônibus apenas cruza a avenida Francisco Matarazzo para já acessar diretamente a rua lateral do Allianz, onde há o estacionamento. Desta vez, a delegação chegou pelo viaduto Pompéia e entrou antes na Francisco Matarazzo, na esquina com o shopping Bourbon. Foi neste ponto em que aconteceu o ataque.


A violência gerou uma revolta interna, tanto que nem houve entrevistas dos jogadores na zona mista da arena, nem ao deixar o campo - um protocolo da Conmebol ao fim das partidas e que pode gerar uma multa ao Palmeiras. Apenas Luiz Felipe Scolari e Bruno Henrique falaram - e diminuíram o caso.

- Tenho de enaltecer a verdadeira torcida do Palmeiras, só isso - respondeu Felipão.

- Queremos agradecer muito ao torcedor que veio e nos apoiou os 90 minutos e nos ajudou nesta vitória tão importante. Ganhando daríamos um passo grande pela classificação, foi um jogo complicado, principalmente no primeiro tempo. Fizemos uma partida consistente e saímos contentes pela grande vitória - acrescentou Bruno.

​Antes de tudo acontecer, os muros no Allianz Parque já tinham sido pichados, pela manhã. Foram colocadas críticas ao elenco, a Leila Pereira e à Mancha Alviverde - em uma das imagens há uma camisa com a inscrição "Zona Leste". Não há até o momento informação se este caso tem relação com o pré-jogo.