Palmeiras x Junior Dayverson e Felipão

Jogadores do Palmeiras comemoram com o banco um dos gols desta noite (Foto: Cesar Greco/Divulgação Palmeiras)

Thiago Ferri
10/04/2019
23:28
São Paulo (SP)

Após o ataque ao ônibus da delegação na chegada ao Allianz Parque, o elenco chegou à arena em silêncio e abalado. Pessoas no clube relataram o desespero de alguns atletas e até o nervosismo de figuras experientes do clube diante do que aconteceu na avenida Francisco Matarazzo. Apesar de todo o ambiente tenso, o Palmeiras superou os problemas, venceu o Junior Barranquilla (COL) por 3 a 0 e recuperou-se na Libertadores.

Em um dia que já começou com muros pichados no Allianz, a violência contra o veículo do clube mexeu internamente. A preocupação de como o time conseguiria se portar acabou se dissipando aos poucos. Não foi uma partida brilhante, mas novamente o Verdão correu poucos riscos, voltou a marcar depois de três jogos de jejum para ganhar folga na vice-liderança da chave e eliminar os colombianos.

Antes de a bola rolar, a Mancha Alviverde, criticada no protesto da manhã, também mostrou descontentamento com o atual momento. Gritou que o time é pipoqueiro, mas logo foi abafada pela outra parte da arena, que vaiou o xingamento.

Nos primeiros minutos, a equipe se mostrava realmente abalada, cometendo erros de desatenção. O gol de Deyverson ajudou a acalmar. Na comemoração, cara fechada para o centroavante, que convocou todo o time para ir ao banco de reservas e festejar entre eles.

Cornetado por não cobrar pênalti na semifinal contra o São Paulo, Dudu fez provavelmente seu melhor jogo na temporada. Além de chutar a bola que gerou o rebote para o primeiro gol, fez o segundo - muito bonito, aliás. Sua festa foi também no banco de reservas, abraçando o chefe Felipão.

O camisa 7 ampliou seus recordes no Allianz nesta noite. Jogador com mais partidas, mais vitórias, mais gols e mais assistências na arena, ele deu passe de calcanhar para Hyoran fechar o placar no triunfo por 3 a 0. 

O resultado deixa o Palmeiras confortável na chave. Se empatar com o Melgar (PER), fora de casa, daqui a duas semanas, o time vai garantir vaga nas oitavas de final. Neste momento, é o segundo colocado da chave, a um ponto do San Lorenzo (ARG), o ponteiro. A noite que começou tensa, acabou com aplausos, mas com os jogadores em silêncio.