Felipe Melo se coloca como exemplo para Deyverson, enfim, melhorar

Felipe Melo se coloca como exemplo para Deyverson, finalmente, melhorar atitude (Agência Palmeiras/Divulgação)

William Correia
01/03/2019
16:36
São Paulo (SP)

Ainda com dois jogos de suspensão a cumprir no Campeonato Paulista como punição pela cusparada que deu em Richard, do Corinthians, Deyverson voltará a ficar à disposição no Palmeiras na próxima quarta-feira, contra o Junior Barranquilla, na Colômbia, pela Libertadores. E a cobrança interna é para que o centroavante, enfim, melhore sua atitude, como apontou Felipe Melo.

- Temos conversado com ele. Deyverson tampouco é criança, tem 27 anos. Para haver uma mudança, precisa ter, primeiro, uma autocrítica e uma vontade de mudar dele mesmo. E vejo isso - indicou o volante, escolhido para dar entrevista coletiva antes do treinamento desta sexta-feira.

- Não vou vir aqui falar o que todos falam, que ele tem um coração enorme e blábláblá. Todos já sabem isso. Mas é um cara que quer mudar. Quando dói o bolso, é importante, como fez o Palmeiras, e ele falou que pagou. Vejo que é um cara quer mudar, e isso é meio caminho andado - falou, relembrando da multa de R$ 350 mil que Deyverson recebeu pela expulsão no último Dérbi.

O camisa 30 se coloca como exemplo para o colega. Em 2017, Felipe Melo chegou a treinar em horário alternativo do elenco por desavença com Cuca, então técnico da equipe. Mas se manteve no clube e diz que o segredo para evoluir é sempre estar aberto a aprender.

- Por eu já ter passado por situações como a dele, procuro ajudar com experiência. Sou uma experiência viva de quem quer mudar, já mudou e pode mudar ainda. Procuramos ajudar com palavras. Ele quer mudar e está aberto a escutar o que temos para ajudar. Ele vai melhorar, tenho certeza disso - apostou, falando também da própria evolução, aos 35 anos de idade.

- Tenho aprendido muito. Passei por momentos difíceis que eu não tinha passado em outros clubes, mas passei aqui. Aprendi realmente o valor de companheirismo quando me deram as mãos e me ajudaram. Procuro agregar com experiência e o que sei, e aprender também. O futebol é bom porque não importa a idade: com cinco, dez, 40 ou 60 anos, você aprende. Quem está aberto a aprender, pode sempre aprender com o futebol.

Falando ainda de Deyverson, Felipe Melo reforçou sua aposta também por conta de sua postura dentro de campo. O volante se coloca publicamente a favor do costumeiramente criticado futebol do centroavante desde quando o camisa 16 desembarcou no clube, na metade de 2017 - recentemente, Deyverson recusou uma milionária proposta do futebol chinês.

- É um cara que ajuda e agrega muito em campo. Quando ele chegou, tinha muita gente falando mal, mas falei que seria muito útil porque briga em todas as bolas, no alto ou no chão. Às vezes, é até excessiva essa luta. Sou meio suspeito para falar porque sou muito fã do guerreiro que ele é.