San Lorenzo x Palmeiras Deyverson

jogo aéreo é uma das poucas armas do Palmeiras (Divulgação Palmeiras)

André Schmidt
03/04/2019
11:44

A derrota para o San Lorenzo, na Argentina, nesta terça-feira, por 1 a 0, realçou ainda mais as dificuldades ofensivas que o Palmeiras vem enfrentando em 2019. Sem Gustavo Scarpa e Ricardo Goulart na criação, a equipe finalizou apenas dez vezes na partida, sendo somente três delas em gol.

O baixo volume tem sido uma constante no time na temporada. Ataque mais positivo do Brasil em 2018 com 121 gols em 74 jogos - média de 1,63 por partida -, o time viu seu aproveitamento cair para 1,33 neste início de temporada, mesmo enfrentando adversários teoricamente mais frágeis no Paulistão do que terá pela frente no Brasileiro. E isso vai além da pontaria de seus atacantes. 

Na Libertadores, por exemplo, o Alviverde tem apenas a 21ª maior média de finalizações da competição, segundo o Footstats, com 10,7 tentativas por jogo. Foram 32 arremates, com apenas 15 indo na direção do gol. Das conclusões certas, cinco foram feitas de cabeça. Ou seja, um terço das bolas que tinham direção nasceram de levantamentos na área.

O baixo número de finalizações se explica exatamente pelo volume pequeno de assistências. Apenas 26 das 32 conclusões nasceram de passes entre os jogadores. Isso contando as cabeçadas, onde o time finalizou seis vezes - além das cinco certas, uma para fora. Portanto, somente 20 arremates se originaram de toques rasteiros. Destes, no entanto, 14 foram concluídos de fora da área. O que mostra uma dificuldade de infiltração ofensiva da equipe, o que força a bola aérea e conclusões de média e longa distância, tornando o ataque previsível.

Das 32 finalizações, 62,5% foram de cabeça ou de fora da área. Muito para uma equipe que tem boas opções individuais na criação como Ricardo Goulart, Lucas Lima, Dudu, Zé Rafael, Moisés, Raphael Veiga, Hyoran, Felipe Pires, Carlos Eduardo e Guerra. É mais do que a maioria dos times do Brasil - ou todos - têm à sua disposição. O que tem faltado é coletivo.

DESEMPENHO OFENSIVO DO PALMEIRAS NA LIBERTADORES
- Dados do Footstats

3 jogos
​5 gols marcados (8ª maior média)
​10,7 finalizações/jogo (21ª maior marca)
​5 finalizações certas/jogo (11ª maior marca)
​8,7 assistências para finalização/jogo (11ª maior marca)
Total de finalizações: 32 (12º maior marca)
6 finalizações de cabeça (18,75% do total)
14 finalizações de fora da área (43,75% do total)