Peñarol x Flamengo

Cuéllar foi líder de desarmes do jogo (Alexandre Vidal/Flamengo)

André Schmidt
09/05/2019
00:00
Rio de Janeiro (RJ)

Foram muitas as chances claras perdidas pelo Flamengo contra o Peñarol, nesta quarta-feira. Onze finalizações no total, sendo cinco na direção do gol. Gabriel, com cinco arremates, foi quem mais tentou. No fim, sem marcação, Vitinho também desperdiçou uma ótima chance e o placar se manteve intacto. Ainda assim, o Rubro-Negro conseguiu se classificar para as oitavas de final da Libertadores na primeira colocação do Grupo D. Graças ao seu sistema defensivo, muitas vezes criticado.

Se o ataque produziu, mas não foi eficiente, o mesmo não se pode dizer da retaguarda. Apesar da expulsão de Pará, na metade da etapa final, o time deu pouco espaços para os uruguaios concluírem com perigo. Foram 12 tentativas do Peñarol, porém, apenas duas na direção de César. Fruto de uma postura agressiva na marcação.

Foram 27 desarmes certos do Flamengo no jogo, segundo dados do Footstats, igualando seu recorde nesta temporada. A equipe só havia conseguido roubar tantas bolas, em 2019, nos duelos contra Madureira e Fluminense, pelo Campeonato Carioca.

Cuellar, com seis recuperações, foi o líder do fundamento na partida, seguido de perto por Arrascaeta e Renê, com cinco. O colombiano é o segundo maior desarmador da Libertadores 2019, com 26, apenas um a menos do que César Fuentes, do Universidad Católica, do Chile.