(Foto: Reprodução)

Rick Monstro colocará em jogo seu título meio-pesado no Taura MMA 9 (Foto: Reprodução)

TATAME
04/02/2020
12:55
Rio de Janeiro (RJ)

Após retornar de maneira triunfal ao MMA em julho do ano passado, derrotando Marcus Fialho por decisão dividida dos jurados e conquistando o cinturão meio-pesado do Taura MMA, Rick Monstro já tem um novo desafio pela frente. O ex-lutador do UFC vai defender seu título da divisão diante de Marcos Brigagão, na luta principal do Taura 9, marcado para acontecer no dia 15 de março, em Gramado, no Rio Grande do Sul.

Com 35 anos e um cartel de oito vitórias e quatro derrotas no MMA profissional, o paulista de Campinas falou sobre sua expectativa e preparação para mais um desafio na carreira. Vale ressaltar que, antes do retorno ao MMA em 2019, o casca-grossa não lutava na modalidade desde 2015, mas logo em sua volta, mostrou um grande ritmo de luta.

- Está muito boa a preparação, estou fazendo na minha unidade da Team Nogueira. Trouxe meu companheiros de treino Renan Problema, um dos pesos pesados de maior qualidade no país atualmente. Temos grandes lutadores aqui, como o Castaldelli, que foi do TUF, o Thiago Gomes e meu irmão Alan Gomes, que também estará lutando no dia 4 de Abril, no evento ACA, na Rússia. Estou sendo acompanhado de perto pelos meus treinadores e o Mestre Rubinho chegou para alinhar a minha trocação. Está saindo tudo conforme o planejado e esperamos fazer mais uma grande luta - disse Rick, que ressaltou ainda a sua boa forma física.

- Na verdade, eu estava parado das competições (antes de retornar em julho de 2019), mas nunca parado dos treinos, e garanto para qualquer um que os treinos na academia são piores que as competições em si. Eu pretendia lutar na divisão dos pesados, mas apareceu um desafio na minha categoria (meio-pesado) e eu resolvi aceitar. Vamos em frente -.

Com grande experiência fora e dentro do cage, Rick Monstro possui uma rotina atarefada, onde divide suas horas entre treinos e suas obrigações à frente da Team Nogueira em Ribeirão Preto (SP). Apesar dos grandes desafios, o lutador fala com tranquilidade sobre a missão de conciliar seus afazeres em paralelo com o duro dia a dia como atleta de MMA.

- Eu amo o que eu faço, e manter o meu negócio me ajuda a relaxar e segurar minha ansiedade com relação à luta. Eu amo lutar e amo meu negócio, que é transformar vidas através da luta, da arte marcial, condicionamento físico, que estão totalmente dentro do que eu faço no octógono - concluiu.