Fellipe Lucena
09/08/2020
17:32
São Paulo (SP)

Em entrevista coletiva virtual concedida após o adiamento da partida contra o São Paulo, pela primeira rodada do Brasileirão, o presidente do Goiás, Marcelo Almeida, disse que a nova bateria de testes feitas pelo clube neste domingo confirmou nove dos dez casos de Covid-19 que haviam sido diagnosticados em exames realizados na sexta-feira. O jogo não tem data para acontecer.

- Resolvemos, por conta própria, repetir os exames para saber se havia veracidade nesses resultados. Foi uma corrida contra o tempo. Ficou pronto faltando dez minutos para as 16h. Desses dez exames positivos, nove foram de fato positivos e um negativo - disse ele.

Mais cedo, o mesmo Marcelo Almeida havia declarado que três dos novos testes já haviam dado negativo, mas tratava-se de uma informação extra-oficial naquele momento.

Questionado sobre a postura do São Paulo, que se manifestou meia hora depois da confirmação da suspensão da partida concordando com a decisão, o dirigente disse que foi "bastante fria".

- O São Paulo agiu de forma bastante fria. Veio aqui com o propósito de ir para o jogo, caso ele existisse. Como eu sabia que a gente tinha dado entrada com o pedido de liminar no STJD e estávamos a poucos minutos de ter essa liminar referendada, procurei o Raí, que está aqui em Goiânia, e posicionei: "olha, vocês estão entrando em campo, mas pode acontecer de ter uma liminar a nosso favor". Ele falou: "vamos esperar o comunicado oficial". Uma coisa fria, ninguém me ligou, me procurou, eu que fui atrás e avisei.

O elenco do Goiás foi submetido a uma primeira bateria de testes na quinta-feira, mas foi preciso colher novas amostras na sexta-feira devido a uma falha informada pelo laboratório responsável pelos exames. No Campeonato Brasileiro, os testes de Covid-19 são oferecidos pela CBF em parceria com o Albert Einstein, que elegeu um laboratório parceiro em Goiânia. Houve problema parecido com o Vila Nova neste fim de semana.


O Goiás esperava os resultados desses novos testes na tarde de sábado, mas diz que eles foram enviados apenas na manhã deste domingo. Os dez infectados estavam concentrados com o restante do elenco e oito seriam titulares. O clube alega que não conseguiria garantir que os atletas que testaram negativo não haviam sido contaminados neste meio tempo, além da necessidade de correr para convocar jovens da base e preencher o banco.

- Não quero apontar o dedo para ninguém, mas lógico que houve uma falha grotesca. Hoje comecei a lembrar do que aconteceu com o Bragantino, que teve problema muito parecido no Campeonato Paulista (no caso, o Albert Einstein informou resultados equivocados de testes ao clube às vésperas do jogo contra o Corinthians). O dia de hoje foi de desconcentração, estressante para mim, para os jogadores e para todo mundo. Tinha jogador almoçando no interior comemorando o Dia dos Pais e que saiu de lá correndo para participar do jogo - disse Marcelo Almeida.

O Goiás enfrenta o Athletico-PR na quarta-feira, em Curitiba, e o presidente diz que o elenco será testado novamente na noite deste domingo.

- A gente não embarca para Curitiba se os resultados não estiverem na nossa mão antes de terça-feira.

Marcelo Almeida
Marcelo Almeida, presidente do Goiás (Foto: Divulgação/Goiás)