Edison Brittes e família

Família Brittes está envolvida na morte do jogador Daniel (Foto: Reprodução)#

LANCE!
21/02/2019
21:02
Curitiba (PR)

A Justiça do Paraná divulgou, nesta quinta-feira, os vídeos das audiências do que tratam do assassinato do jogador Daniel Correa Freitas. Uma das testemunhas, afirmou ter ouvido Cristiana Brittes, mulher de Edison Brittes, réu confesso pedir a filha do casal, Alana Brittes, que não deixasse o pai matar o atleta dentro de casa. 

– Daí a Alana olhou pra ela (Cristiana) e falou: 'Mãe você sabe como é o pai', e saiu – disse a testemunha.

Questionada se considerava a frase de Cristiana um incentivo ao crime, a testemunha isentou a acusada.

– No meu ponto de vista, não. Eu sentei lá. Fiquei chocada. Sem saber o que fazer– respondeu.

Uma outra testemunha relatou que dois homens presentes na casa dos Brittes tentaram impedir as agressões ao jogador e que nenhuma mulher tentou evitar o espancamento. Ela disse ainda que ouviu gritos de socorro de Daniel quando ainda estava dentro do quarto.

- A gente nem... a Stephany foi tentar chamar o Samu, e o Edison (Brittes) mandou todo mundo fazer nada e ficar quieto – disse.

Dez testemunhas de acusação e três informantes foram ouvidos pela juíza Luciani Martins de Paula, no fórum de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. As audiências foram realizadas entre segunda e quarta-feira. 

A magistrada marcou a retomada dos depoimentos para o mês de abril.

O processo da morte de Daniel tem sete réus: Edison Luiz Brittes Júnior, que confessou ter matado o jogador, Cristiana Rodrigues Brittes,  mulher de Edison, Allana Emilly Brittes, filha do casal, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, Ygor King, David Willian Vollero Silva e Evellyn Brisola Perusso.

Apenas Evellyn responde em liberdade.