Breno: 5 jogos e 1 gol

Zagueiro  Breno, em ação pelo São Paulo (Crédito: Divulgação)

David Nascimento e Marcio Porto
28/12/2015
10:00
São Paulo (SP)

O ano de 2015 ficará marcado eternamente na carreira do zagueiro Breno. E de maneira positiva. Muito positiva. De desacreditado quando voltou ao São Paulo, após ficar três anos preso na Alemanha por incendiar à própria casa, o Monstro, como é chamado pela torcida, ressurgiu para o futebol com atuações vistosas, capazes de despertar interesse de outros clubes. Uma reviravolta digna de livro, dos melhores roteiros da temporada.

Responsável por lançar Breno em 2007 e que por coincidência o recebeu no São Paulo no início deste ano, o técnico Muricy Ramalho indicou o jogador à diretoria do Flamengo como plano B à contratação de Henrique, zagueiro do Napoli (ITA), que está mais próximo do Fluminense.

Os contatos ainda estão em fase inicial e a diretoria do clube carioca vai esperar a definição da novela por Henrique para concentrar forças no jogador do São Paulo, a partir do ano que vem. O reconhecimento de Muricy, porém, já representa mais uma vitória para Breno.

Outra é o próprio reconhecimento do Tricolor. A diretoria e comissão técnica o enxergam como um dos pilares para a montagem do time para 2016, seja na zaga ou como volante, posição em que renasceu.

Breno realizou apenas seis partidas em 2015, mas seu desempenho na nova posição, por iniciativa do técnico colombiano Juan Carlos Osorio, impressionou. A estreia foi no segundo tempo do clássico contra o Corinthians, dia 9 de agosto, no Morumbi, e o jogador não sentiu a pressão. A partir dali, ele voltou a respirar como jogador profissional.

A diretoria do São Paulo, por essas e outras, deve dificultar ao máximo a saída do jogador, cujo contrato vai até dezembro de 2017. O clube tem poucos recursos para contratar, cerca de R$ 11 milhões inicialmente, e sabe que precisará entregar uma defesa sólida ao técnico Edgardo “Patón” Bauza, recém-contratado.  Até por isso, não levou para frente uma sondagem pelo zagueiro Rodrigo Caio, de um clube inglês. 

Enquanto analisa a possibilidade de contratar o uruguaio Diego Lugano, a cúpula busca outras peças no mercado para reforçar todos o setores. Na zaga, após a saída de Edson Silva, cujo contrato acabou, restaram poucas opções: Rodrigo Caio, Lucão, Lyanco e Luiz Eduardo, cujo contrato vence agora e ainda não foi renovado. Até por isso, Breno é peça-chave. No momento, o zagueiro se recupera de cirurgia no joelho esquerdo, mas deve estar apto a se apresentar com o grupo para a pré-temporada no dia 6 de janeiro.