Marquinhos Santos

Último trabalho do treinador foi no Juventude  (Foto: Marcio Cunha/Chapecoense)

LANCE!
02/09/2020
15:49
Rio de Janeiro (RJ)

Desde que saiu do Juventude, em março deste ano, antes da pausa no futebol mundial devido à pandemia de COVID-19, o técnico Marquinhos Santos tem usado o tempo livre para focar nos estudos, assistir jogos e, principalmente, aprender sobre o modelo de futebol sistêmico, pelo qual se ter se tornado fã desde que começou a acompanhar mais de perto.

Marquinhos, inclusive, “selecionou” algumas equipes que praticam este futebol e tem seguido.

- Tenho acompanhado e assistido muitos jogos desde o retorno do futebol. Gosto muito do modelo de jogo praticado nas equipes do Liverpool, Bayer, Atalanta e RB Leipizig. No Brasil, modelos semelhantes são das equipes de Jorge Sampaoli, Jorge Jesus, Coudet… São técnicos que apostam no modelo de jogo sistêmico, onde fica claro a ideia de jogo através da intensidade e organização tática, com muita pressão emocional e força mental - disse Marquinhos, que ressaltou o que lhe chama a atenção no modelo:

- Creio que a organização e implementação deste modelo nos treinamentos para a execução nos jogos oficiais e conquistas de alta performance.

Apesar da observação nos times de fora, Marquinhos vê alguns treinadores no Brasil adotando o modelo. Ele cita o Athletico comandado por Tiago Nunes e o Fortaleza de Rogério Ceni como exemplos do sistema. O técnico, porém, vê que o segredo da implementação está, também, no entendimendo dos jogadores.

- O segredo ao meu modo de ver é fazer com que os atletas tenham o entendimento nos treinamentos e consigam reproduzir nos jogos o que foi ministrado, mas em alto nível de concentração. É fazer os atletas comprem a ideia e entendam que o esforço é necessário. É sofrer nos treinamentos para poder desfrutar nos jogos! - disse Marquinhos, que completou:

- Tive a satisfação de enfrentar esses três treinadores que citei e confesso que no primeiro confronto contra a equipe do Santos comandado pelo Sampaoli, e gostei muito do que vi. Fui me adaptando ao esquema também. Apesar das derrotas, pude enxergar evolução das minhas equipes atuando contra esses treinadores citados com este modelo implementado.