Montagem - Luciano e Gabigol

Juntos, somam 28 gols no ano (Foto: Mailson Santana/Fluminense; Delmiro Junior/Photo Premium/Lancepress!)

Joel Silva Matheus Dantas
08/06/2019
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

O sucesso dos ataques de Fluminense e Flamengo, que se enfrentam neste domingo, passam pelas ótimas apresentações de Luciano e Gabriel Barbosa, respectivamente. Os atacantes são os principais goleadores de suas equipes e candidatos ao posto de artilheiro do Brasileirão. No Maracanã, os dois atacantes despontam como esperanças de gols no Fla-Flu, que, em 2019, vem sendo marcado pelo equilíbrio. A bola rola às 19h com transmissão em tempo real do site do LANCE!.

Emprestado pelo Leganés (ESP) por três anos, Luciano chegou ao Fluminense no segundo semestre de 2018, após defender o Panathinaikos (GRE). Não teve tanto destaque assim como toda a equipe, que lutou para permanecer na Série A. Ao fim da temporada, marcou cinco gols em 24 partidas. Em 2019, essa situação mudou. Readaptado ao futebol brasileiro, Luciano faz, em números, a melhor temporada na carreira.

Com 15 gols em 30 jogos, o atacante é titular do Fluminense e conta com a confiança do técnico Fernando Diniz, que o fez capitão na ausência do zagueiro Digão. Sem fazer gols nos últimos dois jogos, Luciano vê no Flamengo, o adversário perfeito para balançar as redes, situação que já aconteceu esse ano. Na ocasião, o Tricolor enfrentou o Rubro-Negro pela semifinal da Taça Guanabara e o empate era do rival. Foi aí que Luciano entrou em ação, marcando o gol da classificação nos acréscimos da partida.

Após aquela vitória, Luciano esteve em campo contra o Flamengo em mais duas oportunidades, somando uma derrota e um empate, que eliminaram o Fluminense da Taça Rio e do Carioca, respectivamente. Portanto, o confronto é encarado como uma revanche, tanto para o atacante, quanto para o próprio Fluminense. Além de tentar dar o troco, Luciano pretende quebrar uma incômoda escrita.

O jogador venceu apenas um clássico na temporada, justamente aquele em que foi o herói e marcou o gol da vitória. Contra o Vasco e Botafogo, Luciano passou em branco, somando empates e derrotas. Essa sina o acompanha desde os tempos de Corinthians, já que não chegou a marcar contra Santos e Palmeiras, fazendo apenas um gol no São Paulo. Oportunidade de mudar a história e se tornar importante e decisivo também em clássicos. O Fluminense vai precisar muito, uma vez que, com seis pontos, não está na zona de rebaixamento por conta dos critérios de desempate.

Já o Gabriel Barbosa, no Flamengo desde janeiro, enfrentou o Fluminense três vezes, com uma vitória, um empate e uma derrota. Se o aproveitamento do time da Gávea nos clássicos não pode ser considerado excelente, o camisa 9 comprovou a fama de "Rei dos Clássicos" que trouxe da passagem pelo Santos. Neste domingo, às 19h no Maracanã, o atacante volta a ser a principal esperança de gol da Nação diante do Tricolor das Laranjeiras.

Desta vez, a partida é válida pelo Campeonato Brasileiro e o time da Gávea, comandado por Marcelo Salles, mira a primeira posição da tabela. Vindo de duas vitórias, sobre Fortaleza e Athletico, o Rubro-Negro entra na oitava rodada como quarto colocado, com 13 pontos.

Nos três "Fla-Flus" que disputou, Gabigol castigou o Tricolor duas vezes. Um dos gols, no empate em 1 a 1 na semifinal do Carioca, que garantiu o Rubro-Negro na decisão estadual. O título veio logo depois com duas vitórias por 2 a 0 sobre o Vasco da Gama, no Maracanã, jogos em que o camisa 9 passou em branco, assim como no único clássico que disputou contra o Botafogo.

A média de Gabigol em clássicos no Rio de Janeiro - 0,33 gols por clássico disputado, com dois gols em seis jogos contra Botafogo, Fluminense e Vasco - está um pouco abaixo da obtida pelo atacante quando defendeu o Peixe, entre 2013 e 2016 e, depois, em 2018. Em 36 partidas diante de Corinthians, Palmeiras e São Paulo, o camisa 9 fez 13 gols, uma média de 0,36 gols por clássico.