Bragantino x Fluminense

Bragantino venceu o Fluminense em jogo da quarta rodada (Foto: Mailson Santana/Fluminense)

Luiza Sá
19/08/2020
21:23
Rio de Janeiro (RJ)

Um jogo que começou em ritmo eletrizante, teve um meio sonolento e terminou acelerado. Assim foi a primeira vitória do Red Bull Bragantino sobre o Fluminense, por 2 a 1, nesta quarta-feira, no Estádio Nabi Abi Chedid, pelo Brasileirão. Os dois primeiros gols da partida saíram com menos de dois minutos no primeiro tempo, com Alerrandro abrindo para os donos da casa e Nenê empatando. Os três pontos, porém, só vieram nos momentos finais, com Luís Phelipe.

O resultado coloca o Bragantino com cinco pontos, na oitava posição, ainda podendo mudar dependendo dos resultados da rodada. O próximo jogo será contra o Coritiba, em casa, no domingo. Já o Flu estaciona nos quatro pontos e em 10º lugar. No sábado, encara o Athletico no Paraná.

VEJA A CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO

DEU NEM PARA RESPIRAR

O árbitro mal apitou o início do jogo e o placar já havia mudado duas vezes. Primeiro, pelo Red Bull Bragantino, com menos de um menino, Matheus Jesus acertou um chutaço de fora da área e Muriel espalmou para frente. No rebote, Alerrandro não perdoou e mandou para o fundo das redes. Logo na saída de bola, o Fluminense deixou tudo igual novamente. Michel Araújo avançou por dentro, Igor Julião deu um toque de calcanhar e Nenê acertou uma bela chapada de longe no canto do goleiro Cleiton.

JOGO IGUAL

Depois de um início frenético, o jogo viveu três momentos distintos. Primeiro, o Bragantino dominou as ações e fez o Fluminense sofrer com as investidas, especialmente com chutes de longa distância. Aproveitando os espaços deixados, a equipe de Felipe Conceição chegou perto de retomar a liderança no placar, mas não soube ser eficiente. Depois, o Flu equilibrou a partida, teve uma chance clara perdida por Evanilson e tentou, sem sucesso, criar oportunidades.

O terceiro momento foi de um jogo mais morno, com muitos erros de passe para os dois lados e poucas oportunidades de perigo criadas. De um lado, o RB Bragantino parou de arriscar. Do outro, o Fluminense teve imensa dificuldade de ficar com a bola no pé.

SONOLENTO

O Fluminense entrou melhor na segunda etapa e passou mais tempo com a bola no pé. Com a saída de Marcos Paulo, que não vinha bem, o time teve mais mobilidade. No entanto, foram minutos mais sonolentos. Em jogo muito faltoso, o Tricolor não conseguiu aproveitar o espaço dado pelo Bragantino para desenvolver as jogadas, com erros de passe e limitação técnica. Na parte final, porém, o time da casa voltou a ocupar o campo de ataque.

PRIMEIRA VITÓRIA

O Fluminense tanto chamou que o Red Bull Bragantino aproveitou. Ocupando mais tempo a área adversária, os mandantes começaram a ser mais perigosos e retomaram a liderança do placar aos 37 minutos. Em lambança de marcação de Egídio e Dodi, Tubarão ganhou a dividida, Luís Phelipe recebeu sozinho após cochilada de Igor Julião na marcação, ajeitou e bateu para colocar 2 a 1 no placar. O time de Felipe Conceição ainda teria um pênalti nos minutos finais, mas o VAR deu um impedimento na origem da jogada.

FICHA TÉCNICA
RED BULL BRAGANTINO 2 X 1 FLUMINENSE
Data/Hora:
19/08/2020, às 19h15
Local: Estádio Nabi Abi Chedid, Bragança Paulista (SP)
Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)
Auxiliares: Leirson Peng Martins (RS) e Lucio Beiersdorf Flor (RS)
VAR: Anderson Daronco (RS)

Cartões amarelos: Artur, Matheus Jesus, Luis Phelipe, Edimar, Lucas Evangelista (BGT), Nenê, Yuri, Evanilson, Igor Julião (FLU)
Gols: Alerrandro (1'/1ºT) (1-0), Nenê (2'/1ºT) (1-1), Luiz Phelipe (37'/2ºT) (2-1)

RED BULL BRAGANTINO: Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Ligger e Edimar; Barreto (Lucas Evangelista - 22'/2ºT), Matheus Jesus (Weverton - 35'/2ºT) e Claudinho (Bruno Tubarão - 35'/2ºT); Morato (Luis Phelipe - 12'/2ºT), Artur (Robinho - 35'/2ºT) e Alerrandro. Técnico: Felipe Conceição.

FLUMINENSE: Muriel; Igor Julião, Nino, Luccas Claro e Egídio; Yuri, Dodi (Fernando Pacheco - 41'/2ºT) e Michel Araújo (Caio Paulista - 49'/2ºT); Nenê (Ganso - 19'/2ºT), Marcos Paulo (Luiz Henrique - intervalo) e Evanílson. Técnico: Odair Hellmann.