Sampaio Corrêa x Fortaleza

Lucas Almeirda/Sampaio Corrêa

LANCE!
14/09/2018
23:35
Futebol Latino

Em situações opostas no Campeonato Brasileiro da Série B, Sampaio Corrêa e Fortaleza entraram em campo na noite desta sexta-feira, pela 27ª rodada, no estádio Castelão, localizado em São Luís, no Maranhão.

Com a vitória conquistada, os comandados de Marcinho Guerreiro subiram para a 19ª colocação, chegando aos 25 pontos somados. Já os comandos de Rogério Ceni seguem na liderança da competição, com 47 pontos, sendo acompanhados de perto pelo vice-líder CSA, hoje com 46 pontos.

O duelo

Nos primeiros dez minutos de jogo, apesar de mostrar-se frequente em seu campo de ataque, o Sampaio Corrêa buscava espaços no campo de defesa do Fortaleza, que, por sua vez, mantinha-se afastando a bola para longe não conseguindo emplacar contra-ataques.

Na sequência da partida, apesar do Sampaio ainda continuar comandando mais as ações, além de tentar manter mais a posse de bola, os comandados de Rogério Ceni não estavam dispostos a dar nenhum tipo de esperanças ao time maranhense, e começaram a pressionar com algumas finalizações ao gol de Andrey, porém todas sem sucesso.

Depois de algumas tentativas, aos 19 minutos, após boa jogada do meia Marcinho, o camisa 7 acabou sendo derrubado na área por César Sampaio. Na cobrança, Bruno Melo, de perna esquerda, acabou parando na boa defesa do goleiro Andrey, que evitou que o placar fosse inaugurado no Castelão.

Passado o susto, a torcida da Bolívia Querida, por pouco, não tirou o grito de gol da garganta. Aos 26 minutos, Fernando Sobral e Uilliam não conseguiram aproveitar o cruzamento na área, perdendo uma grande chance para o time local.

E o Sampaio parece ter conseguido um ânimo extra após o pênalti defendido por Andrey. Em uma nova chegada, foi a vez de Fernando Sobral servir bem seu companheiro de time, mas o lateral Alyson acabou errando a finalização, já que o goleiro Marcelo Boeck mostrou-se atento para fazer a defesa.

Com o passar do tempo, o panorama do jogo praticamente mantinha-se igual com Tubarão buscando seu tento. E conseguiu. Aos 42 minutos, Bruninho, aproveitando a sorte da bola sobrar em seus pés com o gol aberto, após a mesma ter batido nas costas de Boeck no chute de Fernando Sobral, não perdoou. 1 a 0.

Na volta para a segunda etapa, apenas o Fortaleza acabou retornando com mudanças em seu esquema tático inicial. Em uma troca de atacantes, Romarinho entrou no lugar de Rodolfo, visando melhorar o sistema ofensivo que pouco produzia no jogo.

Com a vantagem no placar, o Sampaio, por sua vez, tentava manter-se o máximo com a posse de bola trocando passes no meio-campo. Percebendo o recuo por parte do time visitante, o Sampaio procurava espaços no sistema defensivo do Leão, mas as tentativas de ampliar o placar não surtiram efeito até meados dos 15 minutos.

Mesmo sofrendo com a falta de criatividade, uma pequena melhora aconteceu por parte do time de Rogério Ceni, que passou a tomar a posse de bola do Tubarão. No entanto, o sistema defensivo do Tubarão praticamente mostrava-se implacável na marcação, evitando que o adversário avançasse do meio-campo para frente.

Apesar de uma certa tranquilidade no jogo, o Sampaio não queria saber de ser pressionado por parte do Fortaleza. Sendo assim, mesmo tendo a baixa de perder o lateral Bruno Moura que acabou se lesionado, deixando seu lugar para Luis Gustavo, o rendimento da Bolívia Querida praticamente não caiu, conseguindo oferecer perigo nas chegadas ao gol defendido por Marcelo Boeck.

Pouco antes dos 30 minutos, Ceni, novamente, recuou ao seus suplentes na esperança de conseguir igualar o placar no confronto. Em uma atitude arrojada, o treinador optou por tirar o zagueiro Ligger, colocando o atacante Éderson em campo.

Mesmo com a troca, o Leão ainda não se encontrava no jogo. Porém, mantendo a esperança em alta, em uma última tentativa, Rogério acabou tirando Marcinho para dar lugar ao também atacante Wilson.

A partir dos 40 minutos até os acréscimos, apesar do jogo ter virado um ataque contra defesa, o Fortaleza acabou esbarrando no paredão formado pelo sistema defensivo do Sampaio, que, por sua vez, conseguiu segurar o placar de 1 a 0 até o apito final do árbitro