Rogério Caboclo

Presidente da CBF, Rogério Caboclo foi denunciado por assédio moral e sexual por uma funcionária da instituição (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

LANCE!
05/06/2021
22:44
Rio de Janeiro (RJ)

Em email enviado neste sábado, o diretor de Governança e Conformidade da CBF, André Megale, recomendou ao presidente da entidade Rogério Caboclo que se licenciasse de seu cargo após as denúncias de abuso moral e sexual. No pedido, Megale afirma que Caboclo deveria se afastar da posição para poder "melhor colaborar" com a Comissão de Ética da instituição, que investiga as acusações. 

> Confira a classificação atualizada do Brasileirão 2021 e simule as rodadas!

+ Conheça o novo app do LANCE! e fique por dentro dos resultados e notícias!

- Venho, pelo presente, recomendar que V.Sa. se licencie do cargo de Presidente da CBF, por tempo determinado, de forma a melhor colaborar, nesse período, com a Comissão de Ética do Futebol Brasileiro para a apuração dos fatos narrados na referida denúncia e comprovar sua inocência - afirmou Megale. 

- Desta forma, V.Sa. poderá concentrar sua atenção na resolução dessa situação, que é o interesse de todos que construímos a atual gestão exitosa da CBF até o presente momento junto com V.Sa. preservando assim todos os envolvidos na denúncia e permitindo que a CBF possa continuar a desempenhar as suas atividades, em benefício de toda comunidade do futebol brasileiro - concluiu o diretor. 

CABOCLO DIZ QUE IRÁ PROVAR QUE NÃO COMETEU ASSÉDIO
Em nota, o presidente afirma que "nunca cometeu nenhum tipo de assédio. E vai provar isso na investigação da Comissão de Ética da CBF". O presidente foi denunciado, nesta sexta-feira. A autora da denúncia relatou ainda que Caboclo a intimou a dar falsas declarações para jornalistas e exigiu que ela assinasse um documento inocentando o cartola negando as denúncias.