Patrick Mahomes Kansas City Chiefs

Mahomes encara os Raiders no Sunday Night Football (Chris Donahue/Kansas City Chiefs)

LANCE!
21/11/2020
19:58

O sack de Carlos Dunlap em Kyler Murray colocou números finais à vitória do Seattle Seahawks sobre o Arizona Cardinals na última quinta-feira (19), na partida que inaugurou a semana 11 da temporada de 2020 da NFL. A rodada continua com doze jogos neste domingo (22) e mais um na segunda-feira (23), e, à medida que alguns times se consolidam como líderes de suas divisões, muitas disputas com desdobramentos na pós-temporada estão longe de chegar ao fim. Acompanhe as pílulas de cada partida para saber o que esperar de cada confronto!


Baltimore Ravens (6-3) vs. Tennessee Titans (6-3)

Já começando o domingo com o que promete ser um dos grandes jogos do ano, Titans e Ravens se reencontram depois da surpreendente rodada divisional dos playoffs da última temporada. Em janeiro deste ano, o favoritíssimo Baltimore, com campanha 14-2, recebeu o azarão de Tennessee, que beliscou a última vaga de wildcard com 9-7, numa das maiores zebras da história recente da pós-temporada, em que os visitantes venceram por 28-12.
Dez meses depois, as coisas mudaram e as duas equipes encontram-se em situações parecidas: ambas com campanhas iguais, e em segundo lugar em suas divisões. Baltimore, com a derrota no último domingo, se afastou ainda mais dos Steelers, que lideram a AFC Norte, enquanto Tennessee fica atrás dos Colts na AFC Sul apenas por critério de desempate. Os Ravens, portanto, devem brigar ainda para conseguir garantir uma vaga de wildcard, por mais alta que seja, enquanto os Titans ainda brigam pelo título da divisão.
O grande duelo a se observar será o jogo terrestre de Baltimore, que tem sido menos eficiente neste ano do que em 2019, contra a linha defensiva de Tennessee, que não conta com Jadeveon Clowney. Os Titans não têm conseguido pressionar tanto o QB adversário, mas se conseguirem manter Lamar Jackson dentro do pocket, podem reduzir ainda mais a produtividade do ataque dos Ravens. O pass rush da equipe da casa, por sua vez, promete dar trabalho para Ryan Tannehill e sua linha ofensiva, que segue devastada por lesões e sem muita capacidade de conter a pressão pelo interior. Graças a essa vantagem nas trincheiras, o time de Maryland é favorito.

Cleveland Browns (6-3) vs. Philadelphia Eagles (3-5-1)

Apesar das situações diferentes em relação a vitórias-derrotas, tanto Browns quanto Eagles estão fortes na briga por playoffs. Os Browns são um dos vários times empatados em 6-3, na briga pelo wildcard, enquanto os Eagles lideram a fraca NFC Leste. Uma vaga na pós-temporada para o time da Pensilvânia depende fortemente de Carson Wentz, líder da liga em interceptações lançadas. O QB precisa continuar encontrando seu jogo, evitando turnovers e convertendo terceiras descidas importantes. A sequência de jogos daqui para frente, então uma vitória em Cleveland é crucial para os comandados de Doug Pederson vencerem sua divisão. Os Browns também precisam continuar vencendo para persistirem na corrida para encerrar a maior seca de playoffs ativa da NFL (desde 2002), e para isso contam com o fortíssimo jogo terrestre, com Nick Chubb e Kareem Hunt, que prometem fazer estrago na defesa dos Eagles. Um matchup interessante será entre o pass rusher Brandon Graham e o RT Jack Conklin, que pode ser crucial para o desempenho de Baker Mayfield. Mesmo se o QB de Cleveland não tiver uma boa atuação, os Browns têm todo o favoritismo para este jogo.

Houston Texans (2-7) vs. New England Patriots (4-5)

Após algum tempo jogados de lado, será que os Patriots voltaram a ter protagonismo? Depois da vitória em casa sobre os Ravens no último Sunday Night Football, o time de Bill Belichick se reergueu e agora busca uma sequência de vitórias para se pôr em chance de beliscar uma vaga nos playoffs. O caminho é árduo, porém, com duas vitórias a menos que o restante dos concorrentes, e seria praticamente necessário vencer todos os jogos restantes. Os Texans, por outro lado, têm chances minúsculas de chegarem à pós-temporada, e parecem mais estar brigando por uma posição alta no draft de 2021. Há, no entanto, uma certa rivalidade entre as duas equipes criada nos últimos cinco anos, com diversos confrontos tendo ocorrido, inclusive na pós-temporada.

Deshaun Watson é a peça crucial para um potencial sucesso dos azarões de Houston, mas, com a possível perda de Laremy Tunsil na OL, o pass rush de New England tem tudo para infernizar a vida do jovem QB. Quem assistir a esse jogo deve esperar Cam Newton fazendo estrago no jogo terrestre, especialmente com a falta de disciplina de gaps do corpo de linebackers dos Texans.

Jacksonville Jaguars (1-8) vs. Pittsburgh Steelers (9-0)

Aqui vemos um dos confrontos mais fáceis de prever na semana, com os Steelers sendo favoritos por múltiplas posses de bola. O único time invicto da NFL viaja à Flórida sem lesões significativas além de Devin Bush, enquanto os Jaguars, que devem seguir sem Gardner Minshew, também não terão o WR Laviska Shenault, uma de suas mais versáteis armas ofensivas. O esquema defensivo de Pittsburgh tem capacidade para trucidar a linha ofensiva de Jacksonville, e a secundária do time de Mike Tomlin, mesmo não sendo uma das melhores da liga, deve ter uma vida relativamente tranquila enfrentando as ameaças aéreas dos Jaguars além de DJ Chark.

No entanto, os Steelers tiveram dificuldades contra o fraco Dallas Cowboys no último domingo, e Jacksonville, em circunstâncias similares, deu bastante trabalho ao Green Bay Packers na semana passada. É possível, portanto, que tenhamos aqui um jogo apertado se Jacksonville capitalizar em cima de turnovers que sua jovem defesa é capaz de forçar, além de uma boa atuação dos special teams.

Washington Football Team (2-7) vs. Cincinnati Bengals (2-6-1)

Washington e Cincinnati promete ser um confronto interessante, por mais que não haja muito em jogo para ambos os times além de uma escolha mais alta no draft do ano que vem. O pass rush do time da casa promete irromper no pocket de Joe Burrow, passando pela fraca linha ofensiva dos Bengals. O restante do ataque, com Burrow lançando para AJ Green, Tee Higgins e Tyler Boyd, pode ser uma combinação mortal contra a limitada secundária do time da capital, o que leva a um sutil favoritismo da equipe visitante.

Alex Smith atuando como titular por mais uma semana pode alterar o resultado em relação à percepção dos fatos, já que, com sua experiência, pode ler o jogo e suas situações com mais facilidade do que um QB calouro costuma conseguir. Joe Burrow não é qualquer calouro, porém, já que tem se provado o que se adapta mais rápido às múltiplas leituras e janelas apertadas da NFL dentre os quarterbacks da classe de 2020. Um matchup interessante também poderá ser entre o jovem WR Terry McLaurin, de Washington, contra o também jovem safety de Cincinnati, Jessie Bates III - ambos vem de uma excelente primeira metade de temporada e podem mudar o panorama do jogo para qualquer um dos lados.

Carolina Panthers (3-7) vs. Detroit Lions (4-5)

Outro jogo discreto, sem muitas ambições em jogo em nenhum dos lados, mas que promete ser bem equilibrado: Panthers e Lions se enfrentam na Carolina do Norte, e ambos podem estar sem seus quarterbacks titulares, Teddy Bridgewater e Matthew Stafford, que atualmente estão com status questionável para o próximo domingo. Os Panthers já não contarão com o RB Christian McCaffrey, e muito provavelmente jogarão sem o offensive tackle Russell Okung e sem o cornerback Donte Jackson. Os Lions, por sua vez, não terão Kenny Golladay, seu melhor wide receiver, disponível para o jogo.

Mesmo com tantas lesões, o jogo pode ser interessante caso ambos os times contem com seus QBs. A batalha do jogo terrestre, com Mike Davis vs. Adrian Peterson, também promete ser intensa, já que a defesa terrestre de cada time não tem sido muito funcional ao longo do ano. Carolina carrega um sutil favoritismo por jogar em casa, mas Matt Stafford pode ter forças para entregar aos Panthers sua sexta derrota seguida.

New Orleans Saints (7-2) vs. Atlanta Falcons (3-6)


Apesar da diferença nas campanhas aqui, não é um exagero que este pode ser o grande jogo da semana. O motivo é nada menos que a ausência de Drew Brees, fora com uma perfuração no pulmão e múltiplas costelas fraturadas. Não apenas a lesão de Brees, mas a aparente escolha de seu substituto, divulgada nesta semana, também impressionou os torcedores. Ao contrário da expectativa coletiva, Sean Payton não escolheu Jameis Winston, que entrou no lugar de Brees nos dois últimos jogos, mas sim Taysom Hill, o canivete suiço do ataque de New Orleans, para começar a partida deste domingo. Winston estará no banco e poderá entrar em várias jogadas com dois QBs.

Apesar da controvérsia em New Orleans, os Falcons ainda chegam nesse jogo como azarões, apesar de terem vencido três das últimas quatro partidas. Eles contam com o retorno de Calvin Ridley para atear fogo na secundária dos Saints ao lado de Julio Jones e Russell Gage. O principal cornerback do time da casa, Marshon Lattimore, corre o risco de não jogar nesta semana, o que torna esse jogo ainda mais perigoso para os favoritos Saints.

Denver Broncos (3-6) vs. Miami Dolphins (6-3)

Em outro duelo potencialmente interessante, Broncos e Dolphins se enfrentam na segunda janela de jogos de domingo e, apesar de jogar fora de casa, o time da Flórida é certamente a aposta mais viável. Miami tem todas as chances de estender sua sequência de vitórias, que hoje é de cinco consecutivas, e para isso conta com a ascensão de Tua Tagovailoa, quarterback novato que ainda não lançou nenhuma interceptação nos três jogos em que foi titular. Pela frente o jovem havaiano terá a não tão boa defesa de Denver, 27ª da liga em pontos cedidos por partida.

Os Broncos, por sua vez, contam com seu jovem QB Drew Lock para enfrentar a jovem e excelente defesa de Miami, 5ª da NFL na mesma métrica. O jovem passador de Denver não é estranho aos turnovers, já que teve dez interceptações em apenas sete jogos em 2020. Sem muita confiança no jogo aéreo, o time de Vic Fangio precisará de uma boa atuação de seus running backs para ter alguma chance de vitória, já que o jogo terrestre é a principal fraqueza da defesa dos favoritos Dolphins.

Los Angeles Chargers (2-7) vs. New York Jets (0-9)

A temporada de 2020 parece definitivamente perdida para os Jets. Com 0% de aproveitamento, rankeada entre os piores em inúmeras métricas ofensivas, e com Sam Darnold ainda lesionado, o único ponto positivo para o lado verde de Nova Iorque parece ser o futuro. Com alta porcentagem de chance de ficar com uma das duas primeiras escolhas do draft de 2021, os Jets vêem no horizonte a chance de selecionar um excelente prospecto de quarterback em Justin Fields ou Trevor Lawrence. Adam Gase parece ter perdido o controle sobre seu elenco há algum tempo, e a tendência é que ele perca o emprego até o fim da temporada.
Dito isso, os Chargers chegam como favoritos não apenas por demérito do oponente, mas também por mérito próprio. Apesar da má campanha até aqui, e com o head coach também na berlinda, o time de Los Angeles também tem otimismo em relação ao seu futuro, com o QB Justin Herbert voando baixo em direção ao título de calouro ofensivo do ano. Com um jogo aéreo extremamente eficaz e uma defesa certamente qualificada o suficiente para conter o jogo aéreo de Joe Flacco e o limitado jogo terrestre de NY, os Chargers despontam como favoritos com certa folga nesta partida.

Indianapolis Colts (6-3) vs. Green Bay Packers (7-2)

Outro forte candidato a jogo da semana: Colts x Packers, um importante embate para definir o chaveamento dos playoffs. Green Bay tenta ganhar folga na NFC Norte e se consolidar como seed #1 na Conferência Nacional, enquanto Indianapolis busca se manter à frente da AFC Sul, com os Titans colados na traseira. Phillip Rivers se recuperou da má sequência de turnovers do início do ano, e a jovem defesa dos Colts segue como uma das melhores da NFL em 2020. Michael Pittman, T.Y. Hilton, Zach Pascal e Parris Campbell vêm se provando um corpo de recebedores com grande potencial, e devem ser um desafio interessante para Jaire Alexander e companhia.

Do outro lado, Aaron Rodgers parece mais consistente que nunca, com 26 TDs e apenas 3 INTs, e, mesmo com tantas dúvidas no corpo de recebedores, Davante Adams tem conseguido carregar o piano. Mesmo tendo perdido dois jogos por lesão, o wide receiver lidera a liga, empatado com outros três atletas, em recepções para touchdown, e está no top 10 em jardas aéreas. O matchup mais interessante deste duelo deve ser o inconsistente front seven de Green Bay enfrentando a linha ofensiva de Indianapolis, vista por muitos como a melhor da NFL. Caso o time de Frank Reich consiga correr com a bola de maneira eficiente, o favoritismo dos Packers pode ser posto em risco.

Minnesota Vikings (4-5) vs. Dallas Cowboys (2-7)


Os Vikings vêm embalados na busca pela quarta vitória consecutiva, e ainda sonham com uma vaga na pós-temporada, contrariando todas as expectativas em relação a um mês atrás. Com o uso do play action, Kirk Cousins está jogando melhor, com apenas uma interceptação nas últimas três partidas. Nos mesmos três jogos, o running back Dalvin Cook teve 465 jardas terrestres, 125 jardas de recepção, e 6 TDs no total. Ele lidera a NFL nas estatísticas terrestres, tanto em jardas quanto em touchdowns.

Dallas, por sua vez, conta com o retorno de Andy Dalton para tentar vencer pela primeira vez desde a lesão de Dak Prescott. O retorno do veterano quarterback faz com que este time possa ser levado mais a sério, mas a perspectiva realista é de que pouca coisa muda se a defesa terrestre continuar tão ruim como tem sido ao longo do ano. Cedendo 5,0 jardas por corrida e 157 por partida, os Cowboys precisam fazer sérios ajustes no seu sistema defensivo para conseguirem parar Dalvin Cook. Dado o confronto favorável entre running back e defesa, os Vikings são francos favoritos, mas Dalton pode dar vida nova ao ataque de Dallas se recuperar sua melhor forma.


Las Vegas Raiders (6-3) vs. Kansas City Chiefs (8-1)

A tão aguardada revanche da partida da semana 5, na qual o Las Vegas Raiders se tornou o único time a vencer os Chiefs em 2020, enfim chegou. Desta vez jogando em casa, os comandados de Jon Gruden querem provar que são verdadeiros candidatos ao título e, para isso, querem varrer os atuais campeões do Super Bowl na série. Invictos há três jogos e visando manter a sequência viva, os Raiders devem usar muito o ótimo RB Josh Jacobs como válvula de escape, além de Darren Waller para recepções contestadas e Henry Ruggs para passes em profundidade. Derek Carr vem tendo um ano consistente e ganhando a confiança de seu treinador.

Ainda assim, o favoritismo de Kansas City é inegável. Mesmo jogando em Las Vegas, Andy Reid tem plenas condições de ajustar seu plano de jogo, analisando o confronto anterior para eliminar os erros e deixando Patrick Mahomes mais confortável em relação a suas leituras. Com um corpo de recebedores tão explosivo do outro lado, a secundária dos Raiders deve ter um dia difícil neste Sunday Night Football.

Tampa Bay Buccaneers (7-3) vs. Los Angeles Rams (6-3)

Sean McVay, Jared Goff e companhia aguardam o confronto deste Monday Night Football há quase dois anos. Não que haja uma rivalidade grande entre Buccaneers e Rams, mas há um sentimento de vingança latente no time de Los Angeles em relação a Tom Brady. O antigo quarterback dos Patriots venceu dois Super Bowls contra os Rams, o último deles na temporada de 2018, com McVay em seu segundo ano como head coach, e Goff já como QB da franquia da Califórnia por três anos. Hoje, com Brady nos Bucs, se reencontram na temporada regular, e o futuro membro do Hall da Fama tem um grupo fortíssimo de playmakers para ajudá-lo a conduzir o sistema de Bruce Arians.
Tampa chega como favorito ao confronto não apenas por causa do ataque, mas também pela promissora secundária e pelo forte grupo de pass rushers. A lesão do veterano offensive tackle Andrew Whitworth, que pode tirá-lo de campo até os playoffs, prejudica bastante os Rams neste duelo, mas a garra com que a defesa de LA joga consegue manter esse time vivo em quase qualquer partida. A vitória é essencial para ambos os lados: o time da casa precisa vencer para não deixar os Saints dispararem na liderança da NFC Sul, tendo a chance de aproveitar a lesão de Drew Brees para passar à frente novamente na tabela da divisão. A equipe visitante também precisa da vitória para manter-se na liderança da NFC Oeste, que foi recuperada pelos Seahawks na última quinta-feira. Os Rams têm uma sequência de jogos bem mais complicada que Seattle no próximo mês, então uma vitória no MNF é crucial para que se mantenham na briga.