Sylvinho

Sylvinho tem dois jogos e duas derrotas desde que começou seu trabalho (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

Alexandre Guariglia
05/06/2021
07:00
São Paulo (SP)

É injusto avaliar o trabalho de Sylvinho no Corinthians após apenas dois jogos? Sim, com certeza, mas os números acabam exemplificando o tamanho desse início de trajetória. Se perder ou empatar a partida deste domingo, contra o América-MG, ele ficará com o status de técnico com o pior começo pelo clube neste século. Nenhum outro ficou sem pontuar nos três primeiros duelos.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
>  Relembre o desempenho do Corinthians no Brasileirão por pontos corridos

Para chegar a esse levantamento, o LANCE! recorreu ao Almanaque do Timão, do jornalista Celso Unzelte. Além disso, tirou da conta os interinos que assumiram o clube no período e Júnior, que ficou apenas duas partidas com duas derrotas. Somente os profissionais efetivados entraram nesses dados.

Até aqui, Sylvinho tem dois jogos e duas derrotas, com nenhum gol marcado e três sofridos. Para encontrar um desempenho tão ruim em um início, foi preciso voltar quase 21 anos no tempo, mais precisamente até o ano 2000, quando Candinho foi contratado para assumir o Corinthians. O treinador teve três derrotas nas três primeiras partidas. Júnior, em 2003, teve duas derrotas em dois jogos, mas não entra na comparação por ter saído após a segunda.

De lá para cá, o pior desempenho de um treinador nas três primeiras partidas foi com Fábio Carille, em sua segunda passagem, em 2019. Naquela oportunidade, o técnico sofreu uma derrota e teve dois empates, somando apenas dois pontos. Algo que Sylvinho só poderá superar se vencer o América-MG, caso isso não aconteça, ele terá o piro início de um comandante no século.

A vitória, por outro lado, deixará Sylvinho ao lado de outros técnicos que venceram apenas uma das três primeiras partidas pelo Corinthians no período: Osmar Loss (2018), Geninho (2006), Oswaldo de Oliveira (2004) e Juninho Fonseca (2003). Nenhum desses nomes, porém, teve muito sucesso depois dessa sequência inicial, o que também preocupa a Fiel neste momento.

Em 2004, na primeira passagem de Tite, o atual técnico da Seleção Brasileira fez apenas três pontos em suas três primeiras partidas pelo Timão, mas eles foram frutos de três empates, ou seja, se não venceu, também não perdeu, passando invicto por essa sequência inicial. Naquela ocasião, ele acabou não tendo muito sucesso, mas nas outras duas passagens foram só alegrias para os corintianos.

Pesa contra Sylvinho também o fato de o time não ter marcado gols nesses primeiros jogos. Se isso se mantiver no próximo domingo, ele será o único técnico neste século que, ao completar três partidas de trabalho, não viu o time balançar a rede. Isso com exceção, mais uma vez, de Júnior, que não chegou ao terceiro jogo, mas seus comandados não marcaram gol em duas partidas.

Apesar de ainda ser cedo para avaliar o trabalho de Sylvinho e em que pese as adversidades que ele enfrenta até aqui, como limitação de elenco, falta de tempo de trabalho e pouco conhecimento dos jogadores, o início de sua passagem não é bom e preocupa o torcedor corintiano. Vencer neste domingo significa, mais do que tudo, reacender a chama da confiança alvinegra.

Piores inícios no Corinthians após três jogos neste século:

1) Fábio Carille (2019) - 2 empates e 1 derrota: 2 pontos (22,2% de aproveitamento)
2) Tite (2004) - 3 empates: 3 pontos (33,3% de aproveitamento)
3) Osmar Loss - 1 vitória e 2 derrotas: 3 pontos (33,3% de aproveitamento)
​4) Geninho (2006) - 1 vitória e 2 derrotas: 3 pontos (33,3% de aproveitamento)
5) Oswaldo de Oliveira (2004) - 1 vitória e 2 derrotas: 3 pontos (33,3% de aproveitamento)
6) Juninho Fonseca - 1 vitória e 2 derrotas: 3 pontos (33,3% de aproveitamento)