Marcello Neves e William Correia
15/06/2018
05:00
Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP)

O Rei. O representante máximo da grandeza de um reino. Maior representante da nobreza e da soberania de um povo. No futebol, o título de Rei pode ser destinado aos maiores líderes de clubes. Quando Portugal e Espanha se enfrentarem nesta sexta-feira (15), às 15h, em Sochi, teremos duas realezas de épocas distintas dentro e fora de campo: Cristiano Ronaldo e Fernando Hierro representam o passado e o presente de períodos vitoriosos do Real Madrid.

O presente, claro, é do Gajo. CR7 acumula cinco troféus de melhor do mundo, tendo vencido as três últimas eleições, além de acumular um tricampeonato consecutivo na Liga dos Campeões da Europa - já rendeu quatro troféus do principal torneio continental do planeta ao clube em que Hierro é ídolo, um a mais do que o ex-zagueiro.

Individualmente, não faltam recordes a Cristiano Ronaldo: é o maior artilheiro da história do Mundial de Clubes (sete gols), em competições da UEFA (123), na Liga dos Campeões (120), de uma edição da Liga dos Campeões (17, em 2013/14). Já é quem mais tem gols na história do Real Madrid, tendo balançado as redes 451 pelo clube em que já ganhou 16 títulos.

Cristiano Ronaldo é o principal nome de Portugal na Copa

Na seleção portuguesa, a relevância que o coloca inegavelmente na condição de Rei fica ainda mais clara. CR7 é o maior artilheiro de Portugal, com 81 gols, o o terceiro na lista de jogadores que mais balançaram as redes por suas seleções em todos os tempos (só é superado pelos 109 do iraniano Ali Daei e 84 do húngaro Puskás). Nas Eliminatórias para a Copa do Mundo, a única derrota, por 2 a 0 para a Suíça, ocorreu no único jogo em que ele esteve ausente, por lesão. Com o capitão, 100% de aproveitamento em nove partidas, com 15 gols dele (só o polonês Lewandowski o superou, com um a mais).

Portugal até conquistou a última Eurocopa, em 2016, superando a lesão do astro no começo da decisão, mas a importância de Cristiano Ronaldo é óbvia, e ele sente nunca ter chegado tão bem fisicamente a uma Copa do Mundo como na Rússia.

- É um extraordinário capitão, um extraordinário jogador. Tem uma influência sempre decisiva, quer em campo, em treino. Mas, mais importante do que ele, eu, somos nós. Nós somos uma equipe - disse o técnico Fernando Santos, que ainda possui dúvidas para quem escalar em torno de seu astro.José Fonte e Bruno Alves disputam vaga na zaga, João Mário, Bruno Fernandes e Manuel Fernandes são candidatos a um lugar no meio-campo e, na companhia de CR7, podem aparecer Gonçalo Guedes ou André Silva.

Assim, uma provável escalação tem: Rui Patricio; Cédric, Pepe, José Fonte (ou Bruno Alves) e Raphael Guerreiro; William Carvalho, João Moutinho, João Mário (Bruno Fernandes ou Manuel Fernandes) e Bernardo Silva; Gonçalo Guedes (André Silva) e Cristiano Ronaldo.

Real Madrid x Liverpool
Cristiano Ronaldo é tricampeão consecutivo da Champions (Foto: AFP)

Do outro lado, conhecido como "El Jefe", Hierro foi chamado às pressas pela Federação Espanhola para substituir Julen Lopetegui como treinador da seleção. Seu perfil à beira do campo assemelha-se as características de quando jogador: liderança, respeito e imponência. Muitos antes de Cristiano Ronaldo chegar no Real Madrid, o ex-zagueiro já acumulava três conquistas de Liga dos Campeões - sendo a última levantando o troféu como capitão.

Hierro se transferiu para o Real Madrid em 1989, onde fez história e cansou de levantar troféus. Em 14 anos defendendo exclusivamente a camisa madrilenha, conquistou cinco vezes o Campeonato Espanhol, uma Copa do Rei, três Supercopas da Espanha, uma Supercopa da Uefa e dois Mundiais de Clubes. Pela seleção espanhola, disputou quatro Copas do Mundo, sendo a última como capitão.

Hierro foi chamado para substituir Lopetegui na Espanha

Em 2018, a seleção espanhola tinha tudo para começar a Copa do Mundo rodeada de otimismo e confiança. Classificação sem sustos, invencibilidade de 20 jogos e apresentando um futebol extremamente eficiente. Tinha, porém tudo foi por água abaixo faltando dois dias para a bola rolar, com a demissão de Julen Lopetegui por ter acertado com o Real Madrid - o presidente da Federação Espanhola diz que ficou sabendo do acordo cinco minutos antes do anúncio por parte do clube madrilenho.

- O presidente deu a sua avaliação dos fatos, temos de ser positivos. Temos de virar a página, pensar nos jogadores, no que representamos, no futebol espanhol. Não podemos falar continuamente sobre o que aconteceu, porque perderíamos o foco, que é em Portugal. Eu disse aos jogadores que posso olhar nos olhos de todos, sou muito calmo, e isso não é justificativa para não lutar pelo que viemos - afirmou Fernando Hierro, novo técnico da Espanha. 

Dentro de campo, Hierro terá que tomar suas últimas decisões para definir o time titular. A ausência confirmada é a do lateral-direito Daniel Carvajal, que sofreu uma lesão muscular na final da Liga dos Campeões. As outras dúvidas estão no meio e no ataque, com Thiago e Koke, e Diego Costa e Rodrigo brigando pela titularidade. A provável equipe titular é formada por De Gea, Odriozola, Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Busquets, David Silva, Thiago (Koke), Iniesta e Isco, Rodrigo (Diego Costa).

Hierro - Real Madrid
Hierro conquistou três Liga dos Campeões pelo Real (Foto: AFP)