Oeste x Fortaleza

Foto: Reprodução/TV

Futebol Latino
13/10/2018
18:25
Barueri (SP)

Se o Fortaleza conta com Rogério Ceni no comando técnico, que nos tempos de goleiro já teve atuações memoráveis, dessa vez o jogo frente ao Oeste teve os dois goleiros (Marcelo Boeck e Tadeu) aparecendo de maneira fundamental para evitar que os ataques acionassem o placar na Arena Barueri mesmo com as muitas chances formuladas tanto por paulistas como por cearenses. Tudo isso para um público presente que, infelizmente, não chegou sequer a casa das 3 mil pessoas.

Com esse resultado o Fortaleza segue líder da Série B do Brasileirão, porém com quatro pontos de dianteira em comparação com o segundo colocado, Goiás (57 a 53). O Rubrão, por sua vez, sobe duas posições para se situar em 11° com 41 unidades.

Coisa(s) linda(s)!

Até mesmo pelo estilo de jogo de posse de bola bem mais definido do que seu oponente, o fato do Fortaleza ser visitante em Barueri em nada intimidou o time cearense. Sendo mais constante no ataque, as primeiras grandes chances de marcar vieram em um lindo voleio do atacante Éderson defendido muito bem pelo arqueiro Tadeu. E, logo na sequência do escanteio gerado, Bruno Melo chutou rasteiro e viu a bola passar bem perto da trave esquerda de Tadeu. 

Boeck de uniforme limpo

Em boa parte da etapa inicial, o goleiro do Fortaleza não foi exigido pelo sistema ofensivo do Rubrão, sendo no máximo pressionado de maneira um tanto quanto relativa na saída de bola, já que sempre dá opção aos zagueiros do Tricolor do Pici no trabalho da posse de bola.

Mesmo quando o Oeste conseguiu se desvencilhar da marcação adversária e iniciou uma sequência de jogadas mais pensadas, depois da faixa dos 25 minutos, Marcelo Boeck só precisou realmente se esforçar em bola cruzada na área onde ele antecipou a finalização do time paulista ou na saída de gol para interceptar lançamentos buscando lances de velocidade com infiltrações de Pedrinho e Marcinho.

Destaque para Marlon

Válvula de escape no ataque do Tricolor do Pici, o camisa 11 era importante alternativa tanto para chegar à frente no lado direito do ataque como pensando na recomposição defensiva do mesmo setor. Depois de Bruno Melo dar bom passe e Marcinho errar o tempo da chegada de Éderson na área, foi de Marlon a boa investida em tabela que achou a cabeça do centroavante do Fortaleza que acabou testando pela linha de fundo.

Oeste começa bem e Fortaleza responde

Logo nos cinco primeiros minutos da etapa complementar, o time da casa criou chances que ainda não tinha conseguido com tamanha agudez no confronto. Além de Luquinhas antecipar a zaga do Fortaleza e cabecear perto do gol de Marcelo Boeck, o 1 do Fortaleza precisou trabalhar de maneira providencial quando Mazinho ganhou na velocidade da zaga e saiu cara a cara com o goleiro e capitão dos visitantes.

Se aproveitando de uma boa trama rápida no ataque que pegou a zaga do clube de Barueri desprotegida, Marcinho deu opção e recebeu com espaço para bater colocado na meta de Tadeu, mas não conseguiu fazer a curva que queria na bola e viu ela passar perto da trave esquerda.

Que isso, goleirão?

Até então seguro no jogo, Boeck acabou saindo de maneira bastante atabalhoada do gol e deu a clara chance de Marciel abrir o placar ao calcular errado uma cabeçada já fora do limite da grande área. Porém, o lateral Tinga que estava próximo deu um jeito de recuperar a posse de bola afastando o perigo.

Salva Patrick e salva Tadeu!

Retomando o nível do primeiro tempo, o Fortaleza criou em sequência três lances de extrema clareza para abrir a conta na cidade de Barueri. Enquanto Marcinho chegou a driblar Tadeu e só não marcou porque, na hora do chute, o zagueiro Patrick tirou em cima da linha, em dois cruzamentos seguidos o goleiro do Oeste fez defesas sensacionais para segurar o zero no marcador.

Tadeu ainda apareceu mais uma vez de maneira destacada em finalização de longa distância feita por Nenê Bonilha, consolidando uma atuação impecável.

Estocadas finais

Na parte final do jogo, o cansaço era visível nas duas equipes, porém as tentativas ofensivas não minguaram de maneira completa. Marciel, em jogada individual, e Luquinhas ainda tentaram, mas a bola passando perto do ângulo esquerdo e o bom posicionamento de Marcelo Boeck estragaram as intenções do ataque do Oeste.