Fachada da sede da CBF

Além dos 19 signatários, clubes  da Série B foram convidados a participar da liga (Foto: Divulgação)

LANCE!
15/06/2021
16:31
Rio de Janeiro (RJ)

A CBF já está a par do desejo dos clubes por mudança de panorama. Em reunião realizada na tarde desta terça-feira, 19 dirigentes de equipes que disputam a Série A entregaram uma carta na qual solicitaram mudanças estatutárias e comunicaram o desejo de criarem uma liga.

Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Em trecho da carta, divulgada pelo UOL, os clubes falam que as decisões aconteceram "por unanimidade dos presentes, 19 (dezenove) clubes da Série A do futebol brasileiro - em razão de diversos acontecimentos que vêm se acumulando ao longo dos anos e que revelam um distanciamento total e absoluto entre os anseios dos clubes que dão suporte ao futebol profissional brasileiro e a forma como é gerida a CBF".

Confira a classificação atualizada do Brasileirão

Foi exigida imediata alteração estatutária, que dê aos clubes uma participação maior em decisões institucionais e na gestão da entidade. Um dos critérios foi em relação a tornar igualitário, com peso único de votação nas eleições para presidente e vice-presidente da CBF. Atualmente, as federações estaduais têm peso 3, clubes da Série A possuem peso 2 e equipes na Série B têm peso unitário na escolha dos mandatários.

Outra mudança pleiteada é o fim de requisitos mínimos para construir uma chapa para se candidatar à presidência da CBF. Atualmente, é requisitado o apoio de oito federações e cinco clubes. De acordo com a carta, haveria a permissão de "chapas que tenham apoio expresso de, ao menos, 13 eleitores, independente serem clubes ou federações".

A entidade foi comunicada do desejo de criação de uma liga de futebol do Brasil, a ser fundada "na maior brevidade possível", que "passará a organizar e desenvolver economicamente o Campeonato Brasileiro de Futebol". Os 19 signatários frisaram que os clubes da Série B estão convidados a se integrarem na liga.

O Sport foi o único clube a não assinar a carta pois está sem presidente desde a renúncia de Milton Bivar. Ainda não há data de nova eleição.