Montagem - Ceará e Fortaleza

Momento históricos: rivais pode definir aumento de patamar (Fotos: Felipe Santos / Ceará SC; Divulgação / Fortaleza)

Rafael Ribeiro
26/05/2022
15:43
São Paulo (SP)

Se no Campeonato Brasileiro as coisas não andam nada boa para Fortaleza e Ceará, o mesmo não pode ser dito da campanha internacional dos dois rivais tradicionais do estado nordestino após a noite da última quarta-feira (26), quando ambos venceram seus jogos e conseguiram as respectivas classificações para a fase de mata-mata da Copa Libertadores e Copa Sul-Americana.


É a primeira vez que o futebol nordestino consegue classificar duas equipes com relativo destaque em competições internacionais oficias. E a região foi a primeira a ter um representante nesse tipo de competição, no caso o Bahia, campeão da Taça Brasil de 1959, que disputou a Libertadores do ano seguinte.

Ou seja, a expectativa gerada pelas classificações de Ceará e Fortaleza pode fazer com que os rivais elevem não só o futebol de seu próprio Estado, mas de toda uma região.

Com a classificação do Tricolor às oitavas logo em sua primeira participação na Libertadores, o futebol cearense já alcança o feito de ter a melhor estreia de um Estado nordestino na principal competição de clubes do continente (veja os dados abaixo).

A missão do Leão do Pici pode ser considerada quase um milagre. A equipe comandada por Juan Pablo Vojvoda perdeu os dois primeiros jogos (para Colo Colo, na Arena Castelão, e River Plate, no Monumental de Nunez) e parecia virtualmente eliminada de forma precoce.

A reação começou na terceira rodada, com um triunfo em casa sobre o Alianza Lima por 2 a 0. Moralmente, no entanto, a mudança definitiva de chip aconteceu após o empate com o River no Castelão por 1 a 1 em uma grande atuação coletiva do Fortaleza. Foi um empurrão rumo à conquista de seis pontos dos seis seguintes nas jornadas finais: uma vitória no Peru sobre o Alianza por 2 a 0 e no Chile sobre o Colo Colo por 4 a 3.

+ Fortaleza vence o Colo-Colo em Santiago e avança às oitavas de final da Libertadores

A vaga nas oitavas de final também terá um impacto nos cofres do Fortaleza. O clube irá assegurar US$ 1,05 milhão (cerca de R$ 5 milhões na cotação atual) por disputar o mata-mata da Libertadores.

O objetivo agora é pelo menos igualar o Bahia, que em 1989 chegou às quartas de final e até hoje ostenta a melhor campanha da região na Libertadores. Ao LANCE!, o o presidente Marcelo Paz enfatizou que o feito atual já é significativo o suficiente para um clube que ficou oito anos na Série C nas década passadas.

- Para quem acompanha o Fortaleza nos últimos anos é inimaginável. Subimos a escadinha degrau por degrau, jogamos a Libertadores pela primeira vez e já conseguimos a classificação, decidindo os dois últimos jogos fora de casa, em um grupo com o maior campeão do Peru, maior campeão do Chile e o melhor argentino dos últimos anos, que é gigante mundial, e fizemos um ótimo papel, classificando e mantemos sim o sonho de ir um pouco mais longe. Tudo isso é muito grandioso, motivo de muito orgulho, mas não é por acaso. Temos muita gente qualificada, muito trabalho e estudo - destacou o mandatário do Leão.

O goleiro Marcelo Boeck endossou as falas do presidente e também enalteceu o feito histórico alcançado pelo clube.

- Primeiramente é sempre um prazer a gente poder elevar um clube como o Fortaleza que até pouco tempo atrás estava na terceira divisão do Brasil. E, hoje conseguimos um fato histórico na história do clube tão recente e tão rápido.

+ Ceará vence Independiente na Argentina, faz história e vai às oitavas da Sul-Americana


Chegar nas quartas para igualar a melhor campanha também é a meta do Ceará na Sul-Americana.

O Vozão atropelou os adversários na fase de grupos. A conquista foi carimbada com uma campanha espetacular: seis vitórias em seis jogos, 17 gols marcados e apenas um sofrido. A cereja do bolo veio no imponente estádio Libertadores da América. Pela frente, o Independiente e seus 14 títulos internacionais. O Vozão não se amedrontou, silenciou os torcedores argentinos e sentenciou os rivais: 2 a 0.

O triunfo foi o primeiro da história de um clube nordestino em um estádio no país vizinho.

A exemplo do Fortaleza, a classificação do Ceará também representa um fôlego financeiro, com uma arrecadação de US$ 500 mil (cerca de R$ 2,8 milhões). O valor é somado aos US$ 900 mil recebidos pela participação na fase inicial - cada jogo em casa rendeu US$ 300 mil em bônus. Ao todo, fica com US$ 1,4 milhão (aproximadamente R$ 6,7 mihões).

- Estou muito feliz. É um feito realmente histórico, ter a melhor campanha de um clube brasileiro na história da Sul-Americana. Ser o primeiro nordestino a vencer na argentina. Isso nos orgulha muito, nos orgulha de sermos nordestinos, do Ceará. É algo que vai ficar marcado. E que isso tudo seja apenas motivo para nos dar mais confiança, saber que podemos ir mais longe, que tudo o que foi feito até agora na gestão do clube para ficarmos mais fortes e capazes de enfrentarmos os desafios e obstáculos dentro e fora de campo - destacou ao L! o presidente do Vozão, Robinson de Castro.

Se em terreno sul-americano a coisa vai bem, os co-irmãos cearenses agora lutam para se recuperar no Brasileirão. Ambos ocupam as duas últimas posições da classificação. O Tricolor sequer venceu em seis jogos e tem apenas um ponto somado. O Alvinegro vem em seguida, com cinco.

- Eu sei que a gente tem que comemorar sim hoje, mas amanhã a gente já tem que pensar no São Paulo. A gente tem um pouco tempo de descanso, tem uma viagem um pouco longa. Porque já temos jogo na quarta (contra o Fortaleza), hoje foi um jogo bem cansativo. Então é pensar, vamos esquecer um pouco a Sul-Americana, mas tudo isso que a gente fez eu acho que não nos traz vantagem. É óbvio que é uma campanha impecável, mas é um campeonato a parte - disse o atacante do Ceará Rodrigo Lindoso.

TABELA
> Veja resultados, classificação e simule resultados do Brasileirão-22
> Veja resultados e classificação da Libertadores-22
> Veja resultados e classificação da Sul-Americana-22
>Conheça o novo aplicativo de resultados do L!

Confira como foi a participação de todas as equipes nordestinas em competições sul-americanas: 

COPA LIBERTADORES

1960: Bahia (eliminado na primeira fase)
1964: Bahia (eliminado na fase preliminar)
1968: Náutico (eliminado na fase de grupos)
1988: Sport (eliminado na fase de grupos)
1989: Bahia (eliminado nas quartas)
2008: Sport (eliminado nas oitavas)

COPA SUL-AMERICANA

2009: Vitória (eliminado nas oitavas)
2010: Vitória (eliminado na segunda fase)
2011: Ceará (eliminado na segunda fase)
2012: Bahia (eliminado na segunda fase)
2013: Náutico e Vitória (eliminados na segunda fase) e Bahia (eliminados nas oitavas)
2014: Sport (eliminado na segunda fase), Bahia e Vitória (eliminados nas oitavas de final)
2015: Bahia (eliminado na segunda fase) e Sport (eliminado nas oitavas de final)
2016: Sport (eliminado na segunda fase), Vitória (eliminado na segunda fase) e Santa Cruz (eliminado nas oitavas de final)
2017: Sport (eliminado nas quartas de final)
2018: Bahia (eliminado nas quartas de final)
2019: Bahia (eliminado na primeira fase)
2020: Bahia (eliminado nas quartas de final) e Fortaleza (eliminado na primeira fase)
2021: Bahia (eliminado na fase de grupos) e Ceará (eliminado na fase de grupos)

COPA CONMEBOL

1994: Vitória (eliminado nas oitavas)
1995: Ceará (eliminado na primeira fase)
1997: Vitória (eliminado nas oitavas)
1998: América-RN (eliminado na primeira fase)

Clique aqui e ganhe R$50 para jogar no Galera.bet