Claudinho

(Foto: Ari Ferreira/Red Bull Bragantino)

LANCE!
25/01/2021
18:35
Futebol Latino

Fundada em 1987, a Red Bull não tem demonstrado ganho técnico e competitivo apenas com as equipes que patrocina pelo mundo. Um dos pontos de sucesso e considerado como referência por especialistas está associado à estratégia de marketing idealizada pela empresa, com objetivo claro de levar a mensagem principal a um público mais jovem, focado principalmente em adolescentes.

 + CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO

O que era apenas algo publicitário e teve início na Europa durante a década de 90, se transformou em investimento pesado para o esporte. Inicialmente, a empresa investiu forte em comerciais publicitários, distribuição de produtos em universidades, bares e casas noturnas, além de modelos em pontos estratégicos das cidades para promover a marca.

O sucesso fez com que a Red Bull migrasse para projetos próprios em esportes considerados radicais - que era onde os jovens estavam - casos de lutas marciais, motor e consequentemente o futebol, este abrangendo diferentes públicos, é verdade, mas com um alcance inimaginável.

O carro-chefe da empresa era a realização ou o aporte a eventos considerados tops a nível mundial, casos da Nascar e XGames, além de equipes de Fórmula 1, como a Red Bull Racing. O outro salto, que sacramentou o nome da empresa no esporte, se deu quando o investimento migrou para a compra de times próprios de futebol, o primeiro deles o RB Leipzig, da Alemanha, em 2013. Desde então, foram adquiridos mais quatro clubes, sendo dois no Brasil: o Red Bull Bragantino, que faz boa campanha na Série A do Campeonato Brasileiro, e o Red Bull Brasil, que está na Série A2 do Paulista. Os outros são o New York Red Bulls, que disputa a Major League nos Estados Unidos, e o FC Red Bull Salzburg, na Áustria.

"O caso da Red Bull é bastante particular: é uma empresa que colocou no centro de sua estratégia de negócios a produção de conteúdo em torno de sua marca e é neste contexto que as equipes de futebol são enxergadas: tratam-se de um conteúdo Red Bull, que existe para transmitir os valores Red Bull e gerar engajamento em torno deles - da mesma forma como uma corrida de avião ou o salto de um paraquedista da estratosfera", aponta André Monnerat, diretor de negócios da Feng, empresa especializada em programas de sócios-torcedores e captação de patrocínios.

+ São Paulo em 8º, Flamengo em 10º… Confira a classificação do returno do Brasileirão

Marcelo Palaia, especialista em marketing esportivo e professor do segmento pela ESPM-SP, afirma que o conceito da Red Bull sempre foi muito definido e tem atingido resultados que devem servir de exemplo para outras empresas da área.

"Desde o princípio ela focou no investimento em um público adolescente e entendeu que estar dentro do esporte, com planejamento estratégico e conteúdo, traria ganhos diversos não apenas de vendas, mas do valor da marca como um todo. Essa organização e agressividade na capacidade de investir fazem dela uma referência não apenas de marketing, mas de ganho técnico. O reflexo dos bons resultados nas equipes que controla, mesmo em pouco tempo, não são por acaso", explica.