Atlético-MG X San Lorenzo

O Galo colocou uma equipe reserva e foi eliminado pelo San Lorenzo-ARG- Joao Guilherme/Raw Image

Valinor Conteúdo
12/11/2018
17:32
Belo Horizonte

Com o perigo iminente de ficar de fora do G6 após empate com o Palmeiras, a vaga na Liberadores se torna uma façanha cada vez mais complicada para o Atlético-MG. Caso o Galo não vá para a principal competição do continente, terá de se contentar com a participação na Copa Sul-Americana, definida pelo presidente do clube, Sérgio Sette Câmara, como “segunda divisão” da América do Sul.

O desprezo do clube mineiro pela Sul-Americana foi muito além da declaração de Sette Câmara. Na eliminação para o San Lorenzo-ARG, o então técnico interino Thiago Larghi escalou uma equipe totalmente reserva, mesmo em desvantagem no confronto, havia perdido por 1 a 0 em Buenos Aires e na partida em Belo Horizonte ficou no empate por 0 a 0, deixando a competição.

-Em primeiro lugar, é o que paga pior, é um torneio que dá muito trabalho de logística, tudo pago pelo clube também. Então, se amanhã, a gente sai com um time lá da Bolívia, é tudo por conta do clube, hotel, enfim, os voos etc, e que obviamente também interfere muito na logística do semestre, que está muito apertado com os jogos da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro. Nós temos em mira, obviamente, o Campeonato Brasileiro, como falei no dia da minha posse, disse Sette Câmara quando o clube ainda disputava a competição.

Mas, se o alvinegro retornar à “segunda divisão” da América , terá um novo olhar, afinal além de vencer uma taça internacional, algo que não acontece desde a Recopa de 2014, pode garantir a sonhada vaga na Copa Libertadores.

Para Levir Culpi, se o Atlético-MG se classificar para a Copa Sul-Americana, o torneio será o campeonato mais importante da equipe em 2019.

-Se acontecer de não ir à Libertadores, a Sul-Americana vai ser o campeonato mais importante para mim. Não adianta chorar o leite derramado. Se você não conseguir, não tem mais volta. Você tem que conquistar para frente, e o para frente é a Copa Sul-Americana. Seria isso. Eu agiria dessa maneira. Nem todas as pessoas pensam da mesma forma. Vamos ver o que vai acontecer, disse.

O Galo “secará” o Santos que enfrenta a Chapecoense nesta segunda-feira, em São Paulo, torcendo pelo menos por um empate do Peixe, o que manterá o alvinegro no G6.