Rodrigo e Luan comemoram gol

Rodrigo e Luan foram a zaga titular do Vasco (Foto: Lancepress)

Matheus Babo
17/01/2016
07:00
Pinheiral (RJ)

Um tem 35 anos, o outro 22. Um é polêmico, o outro é tranquilo. Um é o capitão do time, o outro é uma das jovens lideranças e o jogador mais valorizado do elenco. Rodrigo e Luan estão caminhando para a terceira temporada atuando lado a lado no Vasco e a parceria não faz sucesso apenas dentro de campo. Fora dele, os dois também se entendem bem.

Nos primeiros treinos da pré-temporada, em Pinheiral, o técnico Jorginho mostrou que os dois continuarão na equipe titular. O entrosamento é um ponto a favor e a relação da dupla de zaga se assemelha a de irmãos. Nem sempre os dois concordam, mas na base da conversa e da boa relação sempre há entendimento entre o "chato" Rodrigo e Luan.

– Além de ser um companheiro dentro de campo, o Rodrigo também é um amigo que ganhei fora dos gramados. Ele sempre me ajuda nas minhas escolhas e dentro de campo me ajuda muito a crescer. Ele faz parte dessa evolução minha. Procuro aprender e escutar ao máximo o que ele já passou, já viveu. Me escuta bastante também, sabe ouvir minhas colocações. Estamos indo para o terceiro ano juntos. É um cara que eu aprendi a gostar, admirar. Esse jeito chato dele é bom porque me contagia – disse Luan, ao LANCE!

E os elogios são recíprocos. Rodrigo também exalta as qualidades do companheiro de zaga e destaca a evolução do jovem de 22 anos nestes dois anos em que já atuaram juntos. A parceria é tão forte que o experiente capitão vascaíno até destaca que em dois ou três anos, Luan será um dos nomes cotados para a Seleção Brasileira, podendo até jogar a Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

– Está sendo bacana essa parceria. Indo para o terceiro ano juntos, acho que temos um bom entrosamento. Vendo o Luan do primeiro ano para cá, ele evoluiu muito. Fora de campo nem preciso falar, ele tem a mesma conduta sempre. Dentro de campo está crescendo muito como jogador. É um cara do bem, que escuta, mas tem personalidade. Ele também fala o que pensa e isso é importante. Vejo até o nome dele surgindo para a Seleção Brasileira daqui há uns dois, três anos. Potencial ele tem – elogia Rodrigo.

Se Luan vai para a Seleção Brasileira ou se Rodrigo continuará mantendo as boas atuações no Vasco, o torcedor não sabe. O que ele espera é que o entrosamento e a afinidade da dupla siga ajudando o Cruz-Maltino. Em 2016, o bom desempenho dela será fundamental para reerguer o clube.