Jonas Moura
18/05/2016
15:20
Rio de Janeiro (RJ)

Debaixo de chuva, mas cercados por muita torcida, Adriano de Souza e Gabriel Medina se classificaram às quartas de final do Oi Rio Pro, etapa brasileira do Circuito Mundial de surfe (WCT). Se o campeão do ano passado já vinha fazendo bonito nesta quarta-feira, o melhor do mundo em 2014 completou o show, com direito a mais uma nota máxima após executar um aéreo rápido. com rotação completa em 360º.

- Fico feliz de ter tirado outra nota 10. A prancha está um foguete. Espero que o mar melhore um pouco. Está bem difícil lá, mas estou nas quartas e amarradão - falou Medina.

Na bateria que considerou sua melhor na atual temporada, Mineirinho "atropelou" o australiano Davey Cathels e o companheiro Caio Ibelli, nas ondas do Postinho.

Incomodado por resultados inexpressivos nos três primeiros eventos de 2016 do circuito (um quinto e dois 13º lugares), o surfista não chegou a ser ameaçado em nenhum momento. Desde o início, construiu larga vantagem, e encerrou a disputa com 17,44 pontos, contra 8,64 do aussie e 4,57 do brazuca.

- Certamente foi a bateria em que tive mais ritmo, estive sincronizado. Foi a melhor que fiz neste ano . Espero que amanhã eu continue assim - afirmou o atual campeão mundial, que aguarda a definição do adversário.

- O Caio hoje está sendo uma referência para mim nesta competição. Está surfando muito, bem sincronizado. Eu sabia que tinha de fazer meu melhor e tudo se alinhou. Mas amanhã é novo dia, nova história - disse Mineirinho.

Adriano de Souza avança no Oi Rio Pro (Foto: WSL/ Smorigo)
Adriano de Souza avança no Oi Rio Pro (Foto: WSL/ Smorigo)

Medina, logo em seguida, fez o seu espetáculo. O novo 10 dos juízes veio por unanimidade - ele já havia conseguido o feito na segunda fase, ao conseguir um inédito backflip. Com isso, o brasileiro somou 18,10 e deixou para trás o australiano Jack Freestone (7,90) e o taitiano Michel Bourez (7,77).

- Fico feliz com minha performance. Estou melhorando a cada bateria. Sinto que estou muito bem. Espero que esse resultado, que é meu melhor no ano, seja o pior no fim - falou Medina.

Miguel Pupo também se classificou às quartas. Com 12,73, ele venceu bateria contra o brasileiro Italo Ferreira (12,50) e o australiano Adan Melling (10,90).