Bruno Cassucci
05/08/2016
09:35
Enviado especial a Brasília (DF)

A Seleção Brasileira falava em voltar a cativar a torcida na Olimpíada, mas o que se viu na estreia foi o oposto. A equipe não só jogou mal e não conseguiu atrair o carinho do público no Mané Garrincha, como deixou o campo sob vaias.

Na zona mista, a maioria dos atletas adotou discurso comedido e disse entender a cobrança dos torcedores. Contudo, quase todos, inclusive o técnico Rogério Micale, pediram para que os brasileiros sigam apoiando o time em busca do inédito ouro olímpico.

- Acho que todos nós somos Brasil, temos que jogar juntos, precisamos da ajuda deles, como eles compareceram hoje (quinta-feira). Nosso time foi bem e com o apoio deles vai melhor ainda - comentou Gabigol.

Já o meia Renato Augusto, quando questionado se jogar em casa pode atrapalhar em vez de ajudar, admitiu ver uma cobrança exagerada do público, que quer mais do que vitórias.

- A torcida quer ver espetáculo, quer ver show. é totalmente compreensível (a vaia). A gente tem que ter tranquilidade para fazer nosso trabalho bem. Todo mundo sabe, a maioria joga no Brasil e sabe como é, temos uma responsabilidade a mais, tem que ter tranquilidade para jogar - opinou.

A Seleção volta a jogar em Brasília, domingo, contra Iraque, às 22h. O confronto seguinte será em Salvador, contra a Dinamarca, na quarta-feira.