Bruno Grossi e Marcio Porto
17/06/2016
06:50
São Paulo (SP)

O tempo é cada vez mais curto para o São Paulo atender aos desejos da torcida, de Edgardo Bauza – de todos no clube – e acertar a permanência de Maicon. É por isso que, nos próximos dias, o diretor-executivo Gustavo Oliveira embarcará para Portugal para uma investida decisiva pelo zagueiro, emprestado pelo Porto (POR) somente até o dia 30 de junho.

Restam somente 13 dias para que o contrato inicial feito pelos Dragões termine. Os lusitanos não contam mais com o defensor, mas acreditam que podem fazer bastante dinheiro nesta janela de transferências na Europa. Segundo a imprensa local, a pedida portista é de oito milhões de euros (aproximadamente R$ 31,1 milhões).

O valor foge do padrão de contratações do Tricolor, que confia na chance de fechar o negócio por cifras um pouco mais modestas. Em último caso, fará esforço homérico para que Maicon permaneça ao menos para a disputa da semifinal – e até de uma eventual decisão – da Copa Libertadores da América, em renovação do empréstimo.

Maicon dá dicas de como marcar para Matheus Reis
Maicon dá dicas de marcação para Matheus Reis em treino no Morumbi

O tema segue sendo tratado com extrema cautela, principalmente após ter sido uma das razões para a saída de Luiz Cunha do cargo de diretor de futebol. O ex-dirigente acreditava que investir R$ 8,8 milhões no peruano Cueva minava as chances de pagar por Maicon, alegando ter se baseado no departamento financeiro do clube.

Entre aqueles que ficaram na diretoria a teoria é descartada. E mesmo que a confiança seja grande, ela é cercada por cuidados e silêncio. Afinal, qualquer passo em falso pode custar muito mais caro do que os euros pedidos pelo Porto pela contratação do camisa 27.