Lucas Pastore
15/08/2016
06:05
Rio de Janeiro (RJ)

Se a Nigéria tem como ponto forte a habilidade de seus armadores, pará-los será um trabalho para Alex. Eleito o melhor defensor das oito temporadas do NBB, o ala-armador da Seleção Brasileira masculina de basquete terá a oportunidade de mostrar ao ídolo Bruce Bowen que aprendeu as lições nesta segunda-feira, às 14h15, na Arena Carioca 1, na partida que vale a permanência do Brasil na Olimpíada.

Para garantir vaga, a Seleção precisa vencer a Nigéria e torcer para a Argentina vencer a Espanha às 19h. Nesse caso, se classifica na quarta colocação do grupo B e pega os americanos na quartas de final.

E é justamente dos Estados Unidos que vem uma das maiores referências de Alex na marcação. O brasileiro jogou com Bowen na temporada 2004/2005 da NBA pelo San Antonio Spurs. O americano, famoso por sua capacidade defensiva, teve sua camisa imortalizada pela franquia em março de 2012 e está no Rio de Janeiro como uma das atrações a NBA House.

Em sua passagem pelo Spurs, Alex foi atrapalhado por lesões e disputou só dois jogos, obtendo médias de 1,5 pontos e uma roubada de bola em 6,5 minutos por exibição.

Na franquia texana, Alex foi treinado por Gregg Popovich. O técnico vai assumir o comando da seleção americana masculina após a Olimpíada do Rio de Janeiro. Quem sabe, depois dos Estados Unidos serem eliminados pelo ex-pupilo.

Mas, para sonhar com o feito, Alex precisa primeiro ajudar o Brasil a vencer a Nigéria. A seleção africana vem de surpreendente vitória por 90 a 76 sobre a Croácia e chega ao jogo com chances de se classificar para as quartas de final dos Jogos.

Com 19 pontos, Michael Umeh foi o destaque da vitória sobre a Croácia. Tem média de 11,9 por jogo na Olimpíada. Olho nele, Alex!

Bruce Bowen está no Rio de Janeiro para a NBA House. Como é a emoção de saber que ele pode vê-lo jogar durante a Olimpíada?
Cara, ele me ensiou muita coisa. Assistindo ele jogar, ele durante os treinos, o dia a dia com ele. Ele é um cara que na defesa foi um espelho muito grande para mim e aprendi muita coisa. Então, acho que se tiver a oportunidade de revê­lo vai ser uma emoção muito grande, fico muito feliz, porque ele é um cara show de bola.

Depois da Olimpíada, Gregg Popovich vai assumir a seleção americana? Ela pode melhorar com ele?
omo vai ser se você o ver no Rio? Cara, acho que o time pode melhorar muito né, com a inteligência que ele tem, a sabedoria, o jeito que ele lida com os jogadores, o jeito que os jogadores têm dele como técnico, acho que vai passar muita coisa. Se eu tiver a oportunidade de ver ele novamente, vou ficar muito feliz também, porque foi o cara que aprendi bastante, o dia a dia com ele era show de bola, era muito gostoso, tanto na parte ruim, dele cobrar muito no dia a dia, quanto na parte boa. Então, vai ser uma emoção muito grande vê­lo de novo.

Com a palavra: Bruce Bowen, exclusivo ao LANCE!

Alex é um cara que joga duro, era muito agressivo. Às vezes você não é o cara mais talentoso, mas é o tamanho do seu coração e o caráter que você tem que o torna especial. Alex é um cara especial para mim porque ele joga duro e não era tão jovem quanto outros novatos. Então, eu via um pouco de mim nele. Ele viu uma oportunidade e aproveitou. Ele deu tudo que tinha pelo nosso time.