Luis Fernando Coutinho
10/08/2016
19:24
Rio de Janeiro (RJ)

Antes mesmo da Olimpíada Rio-2016 começar uma reportagem do site The Guardian colocou uma sombra sob a competição do boxe masculino por conta de uma suposta manipulação de resultados que estaria acontecendo. Lutadores se recusaram a comentar, treinadores disseram não ter conhecimento de nada, mas uma personalidade do boxe trata a questão como realidade após os primeiros confrontos da modalidade na Rio-2016: Acelino Popó Freitas, ex-campeão mundial e ídolo da nobre arte no país.

Segundo a reportagem publicada, um esquema de manipulação estaria acontecendo envolvendo países como Azerbaijão, Venezuela, entre outros. Algo que garantiria certos resultados no boxe da Rio-2016. Para Popó, que trabalha como comentarista na competição, os indícios de que algo acontece são fortes. Após o triunfo de Robenilson de Jesus na estreia contra Fahem Hammachi (ALG), ele apoiou o atleta tupiniquim e desabafou durante sua passagem pela zona mista, discordando de juízes que não viram a vitória clara do brasileiro e apontaram um triunfo na decisão dividida. 

- Nossos brasileiros estão preparadíssimos. Foi uma luta dura que Robenílson pegou, mas é uma luta que é ele, o adversário e os árbitros. Só tem que lutar contra isso agora. As arbitragens são totalmente amadoras, estamos nos jogos olímpicos! Não é só nas lutas deles, não. Em todas as lutas que estou comentando, são lutas exorbitantes. Você vê: tem vários países como Cazaquistão e Uzbequistão que são arbitragens totalmente tendenciosas. Pode reparar que se lutar Estados Unidos contra Cazaquistão ou esses países tem sempre alguém contra. Tiveram dois árbitros que deram o resultado diferente do que foi. O cara (Hammachi) não ganhou nenhum round. Não teve nenhum round equilibrado. Mesmo andando para trás, Robenílson dava dois, três golpes. Infelizmente temos de lutar com os árbitros e os adversários - acusou o ex-lutador.

Popó ainda foi além. Ele disse já ter passado por situações onde os resultados de suas lutas foram tendenciosos e garantiu que a manipulação é uma realidade no boxe da Rio-2016.

- Isso já aconteceu comigo, já aconteceu com meu irmão em Barcelona, em 1992. Lutei com um cubano em 1995, no Pan-Americano, deram para o cara. infelizmente essa pessoa, ou essas pessoas que fazem isso, não têm filhos ou família. Não sabem o que representa uma medalha e uma vitória. isso tira o sonho de muitos lutadores. Tivemos lutas boas, fáceis de marcar, não lutas equilibradas. Está tendo (manipulação de resultado) nas Olimpíadas. Um árbitro falou que está tendo arbitragem tendenciosa. E a gente aqui comprovou isso. Vimos essa reportagem, e agora estamos vendo isso aqui agora, para o mundo todo, ao vivo - garantiu.

O ex-atleta conversou com Robenílson após a vitória com o brasileiro e orientou o pugilista a "bater mais" em sua próxima luta, "para não deixar dúvidas" quando ao resultado do confronto e não correr riscos em relação a arbitragem.

- Tem que lutar para não deixar dúvidas. Mesmo batendo e ganhando já está deixando dúvidas. O boxe é isso. Você faz 10 a 9 ou 10 a 8, quem bate mais ganha, mas nem sempre ganha mesmo assim. Acredito muito no Brasil. O Luiz Boselli é diretor da Aiba, e ele criticou a arbitragem. Espero que ele seja mais duro com a arbitragem e passe realmente a observar as lutas de forma diferente - concluiu.

Mesmo diante de um possível escândalo, Popó Freitas acredita em um bom resultado do boxe brasileiro na Olimpíada Rio-2016.

- A minha concepção é que teremos quatro medalhas. Em Londres foram três, então não podemos regredir - afirmou.