icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
23/08/2015
14:49

Terminado o GP da Bélgica da Fórmula 1, disputado neste domingo, o principal assunto depois da corrida foram os pneus. Sebastian Vettel tinha tudo para conquistar a terceira colocação em Spa-Francorchamps, porém o pneu de sua Ferrari estourou, assim a boa corrida de recuperação foi pelo ralo. Já Valtteri Bottas não pode culpar a fabricante dos pneus. Em uma trapalhada monumental, a Williams misturou compostos macios e médios no carro do piloto finlandês, que acabou sendo punido com um drive-thru.

Após os pneus de Nico Rosberg terem estourado nos treinos de sexta-feira, o mesmo problema voltou a acontecer com Sebastian Vettel. A programação para o GP da Bélgica era que os pilotos fariam duas paradas nos boxes para troca de pneus. O alemão da Ferrari decidiu fazer só uma, na 14ª volta, quando colocou os pneus duros. A ousada estratégia não funcionou como prevista. Na penúltima volta, o composto traseiro direito de Vettel estourou quando o piloto estava na terceira posição, pronto para subir ao pódio.

- Coisas assim não poderiam acontecer. Se houvesse acontecido 200 metros antes, eu não estaria aqui agora, eu estaria enfiado na Eau Rouge. Eu não sei mais o que deve acontecer.  Pneu é um tema recorrente, que ninguém menciona, mas é inaceitável. Qual é a resposta da Pirelli? A mesma todas as vezes: "Bem, tinha um corte, detritos, provavelmente tinha algo errado com a lataria, o piloto correu muito" - afirmou o alemão.

O caso da Williams foi diferente. Na 10ª volta, quando tinha boa posição na corrida, Valtteri Bottas parou para trocar os compostos. Quando o piloto finlandês saiu dos boxes, ficou evidente que havia algo errado: três pneus macios e o dianteiro direito, médio. Com o jogo diferente por culpa da equipe, Bottas foi punido com um drive-thru e depois teve que retornar aos boxes para substituir o único médio por um macio.

- Estou claramente desapontado com o que aconteceu com o Valtteri. Como um time, nós cometemos um erro. Em nome da equipe, lamento muito que lhe custou uma posição que poderia ser o pódio. Haverá uma investigação nos processos para entender o que aconteceu, e obter um procedimento para que não aconteça mais. O resto da corrida foi ditado pela falta de ritmo após a primeira parada, quando passamos a lutar para consertar o erro - disse Rob Smedley, chefe de performance.

Para Valtteri Bottas, o erro foi ainda mais doído, já que foi ultrapassado por Felipe Massa, seu companheiro de equipe, no campeonato de pilotos. O finlandês acabou a corrida na nona colocação.

- Não tivemos o resultado que esperávamos hoje. O pitstop e o ritmo da corrida são duas áreas que nós precisamos investigar. Nós pensamos que seríamos mais fortes durante a corrida, mas o pneu macio na primeira parada não funcionou bem e nos colocou em uma posição difícil. Devemos nos recuperar em Monza - declarou Bottas.

Terminado o GP da Bélgica da Fórmula 1, disputado neste domingo, o principal assunto depois da corrida foram os pneus. Sebastian Vettel tinha tudo para conquistar a terceira colocação em Spa-Francorchamps, porém o pneu de sua Ferrari estourou, assim a boa corrida de recuperação foi pelo ralo. Já Valtteri Bottas não pode culpar a fabricante dos pneus. Em uma trapalhada monumental, a Williams misturou compostos macios e médios no carro do piloto finlandês, que acabou sendo punido com um drive-thru.

Após os pneus de Nico Rosberg terem estourado nos treinos de sexta-feira, o mesmo problema voltou a acontecer com Sebastian Vettel. A programação para o GP da Bélgica era que os pilotos fariam duas paradas nos boxes para troca de pneus. O alemão da Ferrari decidiu fazer só uma, na 14ª volta, quando colocou os pneus duros. A ousada estratégia não funcionou como prevista. Na penúltima volta, o composto traseiro direito de Vettel estourou quando o piloto estava na terceira posição, pronto para subir ao pódio.

- Coisas assim não poderiam acontecer. Se houvesse acontecido 200 metros antes, eu não estaria aqui agora, eu estaria enfiado na Eau Rouge. Eu não sei mais o que deve acontecer.  Pneu é um tema recorrente, que ninguém menciona, mas é inaceitável. Qual é a resposta da Pirelli? A mesma todas as vezes: "Bem, tinha um corte, detritos, provavelmente tinha algo errado com a lataria, o piloto correu muito" - afirmou o alemão.

O caso da Williams foi diferente. Na 10ª volta, quando tinha boa posição na corrida, Valtteri Bottas parou para trocar os compostos. Quando o piloto finlandês saiu dos boxes, ficou evidente que havia algo errado: três pneus macios e o dianteiro direito, médio. Com o jogo diferente por culpa da equipe, Bottas foi punido com um drive-thru e depois teve que retornar aos boxes para substituir o único médio por um macio.

- Estou claramente desapontado com o que aconteceu com o Valtteri. Como um time, nós cometemos um erro. Em nome da equipe, lamento muito que lhe custou uma posição que poderia ser o pódio. Haverá uma investigação nos processos para entender o que aconteceu, e obter um procedimento para que não aconteça mais. O resto da corrida foi ditado pela falta de ritmo após a primeira parada, quando passamos a lutar para consertar o erro - disse Rob Smedley, chefe de performance.

Para Valtteri Bottas, o erro foi ainda mais doído, já que foi ultrapassado por Felipe Massa, seu companheiro de equipe, no campeonato de pilotos. O finlandês acabou a corrida na nona colocação.

- Não tivemos o resultado que esperávamos hoje. O pitstop e o ritmo da corrida são duas áreas que nós precisamos investigar. Nós pensamos que seríamos mais fortes durante a corrida, mas o pneu macio na primeira parada não funcionou bem e nos colocou em uma posição difícil. Devemos nos recuperar em Monza - declarou Bottas.