Russa Mariya Savinova (Foto: FRANCK FIFE/AFP)

Russa Mariya Savinova (Foto: FRANCK FIFE/AFP)

LANCE!
10/11/2015
16:07
Rio de Janeiro (RJ)

O Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou ontem que considera retirar as medalhas dos atletas identificados no escândalo de dopagem da Rússia, bem como excluir de competições os treinadores envolvidos no caso.

A entidade aguarda ações da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), que pode decidir pela suspensão do país de eventos internacionais, como os Jogos Rio-2016. Uma reunião entre os dias 25 e 27 deste mês, em Monte Carlo, discutirá futuras sanções.

“O COI pediu a IAAF para iniciar os processos disciplinares contra todos os atletas, treinadores e funcionários que participaram dos Jogos Olímpicos e são acusados de doping no relatório da comissão independente. Com sua política de tolerância zero contra o doping, após a conclusão deste procedimento, o COI tomará todas as medidas necessárias e sanções no que se refere a retirada e realocação de medalhas e conforme o caso pode ser a exclusão dos treinadores e funcionários do futuros Jogos Olímpicos", diz a nota.

No mesmo dia, a Agência Mundial Antidoping (WADA) determinou a suspensão do laboratório de análise antidoping de Moscou. O ato segue pedido de uma comissão independente da entidade que elaborou um documento apontando irregularidades no controle do uso de substância proibidas por atletas do país, com o consentimento do governo.

A medida, que teve efeito imediato, impede que o laboratório russo analise amostras de sangue e urina. O centro de controle teria 21 dias para apresentar um recurso à decisão no Tribunal Arbitral dos Esportes.
O COI já havia suspendido provisoriamente o título de membro honorário do senegalês Lamine Diack, ex-presidente da IAAF, que teria recebio propinas para acobertar resultados de exames antidoping. Ontem, ele foi afastado de todas as suas funções no conselho da entidade.

Apesar de as investigações apontarem para equívocos no controle antidoping dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi (RUS), no ano passado, o COI afastou a possibilidade.

“O COI não tem razão para questionar a credibilidade dos resultados dos testes dos Jogos de 2014”, disse.

Dentre os atletas envolvidos, estão a campeã olímpica Mariya Savinova e a medalhista de bronze Ekaterina Poistogova, ambas dos 800m.