Bruxelas

Aeroporto de Bruxelas após os ataques terroristas (Foto: Reprodução)

LANCE!
23/03/2016
13:35
Nyon (SUI)

Após os atentados terroristas desta terça-feira em Bruxelas, a realização da Eurocopa deste ano, na França, foi novamente questionada. Com a repercussão do caso, a Uefa logo emitiu um comunicado garantindo a realização do evento. Mas depois, alguns membros importantes do órgão deram entrevistas a diversos veículos de comunicação da Europa, e há algumas divergências. Principalmente com a possibilidade de alguns jogos não terem torcidas.

- A Eurocopa é o tipo de evento que não dá para adiar. Ao falar de cancelar jogos amistosos ou algumas partidas decisivas para outras datas, tudo bem, mas esse não é o caso. Não podemos excluir a possibilidade de jogar com portões fechados, assim como não podemos excluir o terrorismo - disse Giancarlo Abete, ex-presidente da Federação Italiana de Futebol (FIGC) e atual vice-presidente do comitê executivo da Uefa, à Radio 24:

- Estamos falando de jogos que estão marcados para junho, e estamos tratando disso com muito emergência.

Já Pedro Pinto, porta-voz da Uefa, afastou a possibilidade de a Eurocopa ter jogos com os portões fechados. Ele fez coro com o primeiro-ministro da França, Manuel Valls, que disse que a ameaça terrorista sempre esteve em pauta.

- Estamos trabalhando com urgência em cenários relacionados com planos de crise, uma vez que consideramos a segurança de todos os participantes com a maior seriedade - disse à AFP.