Zidane pelo Real Castilla

Zidane tem o maior desafio em menos de três temporadas como treinador (Foto: GERARD JULIEN/STF)

LANCE!
04/01/2016
20:18
Madri (ESP)

Zinedine Zidane assume o Real Madrid com a imagem de lances plásticos que ajudaram a decidir campeonatos de extrema relevância, como Copa do Mundo, Eurococopa e Liga dos Campeões da Europa. No entanto, como treinador, Zizou ainda é uma grande incógnita. Pouca gente acompanhou o trabalho do francês à frente do Real Castilla, uma espécie de time B dos Merengues.

O ídolo teve um período de aprendizado como auxiliar técnico de Carlo Ancelotti em 2013-14. Com os conselhos de Zidane, o italiano conquistou a Liga dos Campeões e a Copa do Rei. Neste período, o francês também aproveitou para visitar Pep Guardiola no Bayern de Munique e saber um pouco sobre os métodos do homem que revolucionou o Barcelona de 2008 a 2012.

Na temporada seguinte, Zidane acertou com o Castilla e já teve problemas. Ainda Sem a licença para treinar, Zizou foi impedido de trabalhar por três meses pela Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF). Foi preciso um Tribunal Esportivo intervir na questão para garantir a continuidade do carrasco da Seleção Brasileira em 1998.

Em 2015, a notícia que o ex-jogador tanto esperava. Em maio, Zidane recebeu o diploma de treinador de nível III, documento que o habilitava para dirigir qualquer time da Primeira Divisão da Espanha. Durante o ano passado, ele também chegou a ser especulado como o substituto de Marcelo Bielsa no Olympique de Marselha.

Os resultados de Zidane em divisões inferiores ainda não são muito animadores. Na primeira temporada, o Real Castilla não conseguiu se classificar para o play-off da Segunda Divisão. Na temporada seguinte, caiu para a Terceirona, mesmo com a chegada de Odegaard, joia norueguesa de apenas 16 anos que subiu rapidamente aos profissionais.

CONFIRA IMAGENS DA CARREIRA DE ZIDANE


A ascensão de Zidane estava acontecendo nesta temporada. Sob as ordens do francês, o Castilla ficou na segunda colocação até a última rodada.

No Real Madrid, Zidane terá um perfil bem diferente de Rafael Benítez e José Mourinho. Os ibéricos priorizavam o rigor tático, enquanto o novo comandante deve apostar mais na individualidade e na liberdade de criação dos volantes Modric, Isco e Kroos.

- Ele é emblemático, tem história no Real, é ídolo, com experiência como auxiliar de Ancelotti e técnico do Real B - afirmou Thomaz Roncero, editor do "AS" e torcedor fanático do único clube com dez Champions League.

Nesta terça-feira, a torcida do Real Madrid terá o primeiro contato com o novo treinador, já que o clube abrirá as portas do treinamento para os torcedores. A estreia de Zidane no novo cargo será no dia 9 de janeiro, no próximo sábado, contra o Deportivo La Coruña, no Santiago Bernabéu.

- Somos o melhor clube do mundo e a melhor torcida. Devo me esforçar para que a equipe seja campeã no fim da temporada. Posso garantir que farei todo o possível para tirar o melhor dos jogadores. Nada é mais importante do que estar com o time e trabalhar. É um dia muito importante. Tenho a emoção de estar aqui. Fui jogador, mas sei que a partir de amanhã (terça-feira) será tudo diferente.