Wendell Lira

Wendell Lira virou manchete no mundo nesta sexta (Foto: Divulgação/Goianésia)

LANCE!
06/11/2015
19:01
Rio de Janeiro (RJ)

Wendell Lira, atacante de 26 anos, que começou a carreira no Goiás e que nos últimos cinco anos já rodou por oito clubes diferentes, acaba de ganhar fama mundial. Afinal, o jogador, quando defendia o Goianésia no Campeonato Goiano, fez um golaço de voleio na partida contra o Atlético Goianiense. E conseguiu a façanha de se tornar finalista do prêmio Puskas, troféu que a Fifa concede ao jogador que faz o gol mais bonito do ano.

Wendell Lira, que depois do Goianão acertou com a Tombense e logo rescindiu o contrato, disse que levou um susto quando soube que está concorrendo ao lado de jogadores como Messi e Tevez, entre outros

- Eu estava almoçando na casa da minha mãe. Aí começaram os telefonemas. Era muita ligação e meus familiares me perguntavam se eu queria atender ou não. Aí disse que estava comendo e que iria deixar para depois. Mas só que não parava de tocar. Aí vimos nas redes sociais. Só que eu achava que era alguma pegadinha de quem vive brincando. Mas quando comecei a atender as ligações, era gente de Portugal, da Espanha, dos jornais. Aí eu comecei a acreditar nessa história - disse Wendell Lira ao SporTV.

Prêmio Puskas candidatos
Só pintura! confira os golaços indicados ao Prêmio Puskas

O atacante comentou o gol, marcado na vitória do Goianésia por 2 a 1 sobre o Atlético, em partida válida pela quarta rodada do segundo turno da competição.

- Foi uma jogada toda muito bonita. o Nonato acreditou na jogada me deu o passe, toquei para o Da Matta e nesse momento bola levantou um pouco. Foi ali momento que ele me achou na área. Eu só tinha aquela opção e fui feliz fazendo o gol.

O gol, que abriu o placar aos 28 do primeiro tempo, foi visto por poucos. Como o Goianésia é um time pequeno e o Atlético Goianiense fazia péssima campanha (nem se classificou às semifinais), apenas 389 torcedores estavam naquela noite no Serra Dourada e a renda foi de apenas R$ 3.180. Entretanto, a vitória naquela partida foi importante para levar o Goianésia à semifinal do Estadual. (o time acabou caindo para o Goiás).

Sobre o seu pouco tempo no Tombense, que disputou a Série C do Brasileiro, ele analisou tudo como algo que ele nada pode fazer, pois acabou sendo protagonista de uma briga interna no clube

- Durante o Campeonato Goiano fiz excelente trabalho. Depois do fim do contrato com o Goianésia, estudei propostas e acabei optando pela Tombense. Chegando lá, houve um desentendimento do treinador com a diretoria em torno do meu nome. Acabei rescindindo e voltando para casa. Estou sem emprego há dois meses e esperando alguma proposta - disse à SporTV.

Sem condições de acertar com outro clube, Wendell Lira, para manter a forma física, optou por jogar no futebol amador de Goiás, ganhando cerca de R$ 300 por partida. Acabou campeão da Copa Kaiser pelo Le Postiche. O jogador acredita que o gol poderá dar uma guinada na sua carreira.

- Estou numa idade boa e já tenho proposta para 2016, só que esse gol pode alavancar muita coisa. Porém eu tenho meus pés no chão. Vou torcer para poder voltar a jogar em um time grande, como foi no Goiás, onde eu fiquei um tempão - finalizou este habilidoso meia, que começou em grande estilo no Alviverde de Goiânia, sendo considerado o mais habilidoso de uma equipe que contava com dois jogadores que são bem conhecidos: o zagueiro Rafael Tolói e Douglas, hoje no Barcelona.