Parus Cerveja

Uma das cenas mais comuns da Euro. Centenas de garrafas de cerveja vazias jogadas  (muitas delas  quebradas) pelas ruas próximas das Fan Zones. Elas viram armas nas mãos de brigões  (Carlos Alberto Vieira)

CARLOS ALBERTO VIEIRA
12/06/2016
19:19
Lyon (FRA)

Motivado pelas cenas de briga entre ingleses e russos em Marselha e de franceses e norte-irlandeses em Nice, ambos neste sábado, o Ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, anunciou, após contato com os prefeitos das cidades, que está a proibida a venda de bebidas alcoólicas nos dias dos jogos naqueles que ele chamou de perímetros sensíveis: os estádios e seus entornos, as Fan Zones e as ruas próximas das festas, além das áreas de estações que levam aos jogos.

- Perguntei aos prefeitos e tomamos todas as medidas cabíveis  -disse Cazeneuve durante a entrevista de imprensa na qual ele mais uma vez lamentou o comportamento dos baderneiros.

- Eles nos tiram a polícia do foco principal, que é a ameaça terrorista - concluiu.

O transporte de bebidas alcoólicas também está vetado. Além disso, os prefeitos das cidades foram liberados para proibirem recipientes que eles julguem que possam servir como armas ou projéteis, o que inclui quaisquer bebidas em garrafas de vidro.

Embora na área da Fan Zones as cervejas estejam sendo servidas em copos, na entrada delas  e também nos entornos dos estádios, as garrafas de 330ml estavam sendo vendidas livremente até a decisão do governo por centenas de camelôs, bares, restaurantes e quiosques. Muitas destas garrafas, depois de esvaziadas eram jogadas nas ruas e, como no caso de Nice, serviram como armas. No fim da noite de sábado, véspera do jogo da Irlanda com a Polônia, torcedores franceses se desentenderam com irlandeses e começaram a lançar as garrafas e cacos que resultaram em sete ficaram feridos.

Como a medida ainda não estava valendo os jogos deste domingo, houve problemas também em Lille, quando cerca de 100 ucranianos e alemães se enfrentaram na Grand Place. Além do combate físico, mais uma vez as garrafas serviram como armas. A polícia não divulgou o número de presos e feridos.
Buffon lamenta a violência dos hooligans

Vale lembrar que em Marselha a confusão foi generalizada e bem mais violenta entre hooligans ingleses e russos, que foram ver o jogo entre as suas seleções na cidade. O resultado foram 34 feridos, quatro com muita gravidade.

 Perguntado sobre a questão durante a entrevista coletiva para o jogo da Itália contra a Bélgica, na tarde deste domingo, o goleiro Buffon disse não entender como há torcedor que deixa o seu país não para apoiar a sua seleção, mas para entrar em brigas.

- Este tipo de episódio mancha a festa. Fico espantado com essas pessoas sem senso cívico  quem não têm prazer de desfrutar um jogo de seu país e só  fica brigando. Ainda mais após o medo com os episódios que ocorreram na França e precederam esta Euro - disse, citando os atentados terroristas.