Romero volta ao time titular do Corinthians neste domingo (Foto: Daniel Augusto Jr)

Romero volta ao time titular do Corinthians neste domingo (Foto: Daniel Augusto Jr)

Bruno Cassucci
15/05/2016
06:30
São Paulo (SP)

Enquanto cresce o risco de uma nova debandada de jogadores do Corinthians na janela de transferências do meio do ano, o atacante Romero avisa: quer ficar! Depois de quase dois anos no Brasil, o paraguaio diz ainda não ter mostrado tudo o que é capaz e sonha em entrar para a história.

De volta à equipe titular no jogo contra o Grêmio, neste domingo, às 16h, em Itaquera, Romero acredita que um bom desempenho no Campeonato Brasileiro pode lhe abrir portas.

– Minha ideia agora é ficar e jogar, fazer o meu melhor. A partir daí fica totalmente diferente, chegam propostas melhores, de clubes importantes da Europa. Eu recusei uma oferta da Rússia em janeiro porque falei que ainda não tinha demonstrado meu melhor. Agora, estou jogando bem e fazendo gols. Tivemos um desmanche grande em janeiro, torço para que fique todo mundo para fazermos um bom Brasileirão – afirmou, ao LANCE!, lembrando oferta do Rubin Kazan (RUS) que teve no início do ano.

Artilheiro do Corinthians na temporada, com nove gols, o paraguaio estará neste domingo em seu “habitat natural”. Afinal, dos 14 gols que marcou com a camisa alvinegra, 11 foram na Arena. O desempenho o deixa próximo do posto de goleador máximo do estádio, que ainda pertence ao peruano Paolo Guerrero.

Romero se diz motivado em assumir a liderança deste ranking, mas mais do que balançar as redes, ele sonha em ser decisivo ao time.

– Agora estou como artilheiro, mas ainda não fiz gols importantes. Marquei no Paulista, na pré-temporada... Fazer no Brasileirão é diferente. Meu objetivo é esse. Quero fazer gols importantes e aí me consolidar como artilheiro, sempre ajudando o Corinthians – disse.

Para voltar à equipe, o paraguaio teve de abandonar o lado do campo em que prefere atuar. Ele ganhou a posição de Lucca e jogará aberto na ponta esquerda. Embora reconheça que terá de se adaptar, ele minimiza o impacto da troca em busca de um objetivo maior:

– Ganhamos em 2015 e vamos em busca novamente. Quero ajudar o Corinthians a ser hepta!

Angel Romero - Corinthians (foto:Ari Ferreira/LANCE!Press)
Romero, em foto posada ao L! (Foto:Ari Ferreira/LANCE!Press)

- 6 a 1 sobre rival foi divisor de águas

Romero encara a histórica goleada sobre o São Paulo, na antepenúltima rodada do Brasileirão do ano passado como um divisor de águas na passagem dele no Timão. Naquele clássico, que marcou a entrega da taça de campeão nacional ao clube, o paraguaio fez dois gols e teve ótima atuação, tendo ainda sofrido pênalti.

– Aquele jogo foi muito importante para mim. Eu não iria jogar, mas o Tite me chamou no dia e disse que eu seria titular. A gente já era campeão, mas aproveitei a chance – recorda.

Romero ganhou confiança com aquela atuação e também o carinho da torcida. Ele acredita que antes a Fiel não acreditava muito em seu potencial e passou a tratá-lo como um xodó depois do baile no rival.

– Depois desse jogo a torcida mudou muito comigo, é totalmente diferente o tratamento que a torcida tinha comigo e o que tem agora. Antes tinha um pouco de desconfiança comigo. Após o que fiz naquele jogo a torcida confiou mais em mim, valorizou o meu trabalho. Estou agradecido à torcida, eles valorizam meu trabalho, meu sacrifício em campo. É minha característica correr, não dar por perdida nenhuma bola...

- Bate-bola com Romero, atacante do Corinthians, ao LANCE!:


Como encara esta nova oportunidade como titular do time?
A chance que vou ter agora é muito importante para mim. Quando cheguei, no meio de 2014, joguei com o Mano Menezes, mas não tive uma sequência para poder mostrar meu futebol. Depois, quando chegou o Tite, perdi espaço, acabei não jogando muito e até não fui relacionado para alguns jogos. Foi difícil o início de 2015, Mas coloquei na cabeça que aquilo era normal, tinha que me adaptar ao clube e ao Brasil. Trabalhei e fiquei quieto. Teve sacrifícios e treinos. Aí no começo deste ano o Tite falou para mim que eu ia poder jogar com mais regularidade. Joguei na pré-temporada, fiz gols... mas acabei infelizmente perdendo a vaga. Agora, brigando, fazendo gols, tenho a oportunidade de começar o Brasileirão como titular. Quero aproveitar e não sair mais.

Sonha em ser ídolo? Já há até bandeira do Paraguai na Arena...
Trato de fazer meu trabalho, virar ídolo é secundário. Só quero que o Corinthians brigue por títulos, ganhe jogos e eu me adapte ao time. Estou agradecido, contente e honrado por ter a bandeira do Paraguai na Arena. Cada vez que vê, minha família fica emocionada. Eu também fico feliz.

Dos seus 14 gols, 11 foram na Arena. A que atribui esse número?
Me sinto mais à vontade lá, é diferente para mim. Quando você joga num estádio desse, com torcida gritando, apoiando, não pode deixar de correr jamais. É uma motivação extra para mim. Quero superar o Guerrero como maior artilheiro lá, é meu objetivo.

Espera-se que alguns atletas deixam o Corinthians na próxima janela. Você já teve propostas?
A mim não chegou nenhuma. Para meu empresário, não sei, ele não me disse. Mas não creio ser hora de sair. Demorei a me adaptar aqui, o mesmo aconteceria em outro país. Quero fazer um bom Brasileiro e depois virão ofertas melhores a mim e ao clube.