Anderson Lopes (Foto: Divulgação)

Para Anderson Lopes, jogo contra a Ponte, no próximo sábado (28), é de vida ou morte para o Avaí (Foto: Divulgação)

RADAR/LANCE!
27/11/2015
01:22
Florianópolis (SC)

Esta quinta-feira (26) foi dia de mais um treino fechado à imprensa comandado pelo técnico Rau Cabral na Ressacada. Na atividade, o treinador buscou posicionar o time e dar compactação às linhas do Leão para o jogo do próximo sábado (28), contra a Ponte Preta. A partida é decisiva para o Avaí na luta contra o rebaixamento, mas para o meia Anderson Lopes, o jogo vale muito mais: vale a vida.

- O jogo contra a Ponte é o jogo onde ou a gente vai matar ou vai morrer. Então, temos que ter foco total para sair com os três pontos e, no domingo, secar os adversários - disse o jogador.

Além disso, o meia vê no mando de campo um aspecto importante e pede atitude ao time para conquistar a vitória sobre a equipe campineira:

- Acho que temos que entrar com a mesma pegada que mostramos contra o Joinville. No início do jogo, a gente marcou pressão, os caras não respiraram. Temos que matar o jogo logo. A gente tem jogado com muito respeito ao adversário, procurando jogar no erro, como quando enfrentamos um Fluminense fora de casa, um Flamengo. Mas aqui é nossa casa e, dentro de casa, a gente tem que impor respeito - completou.


Para ajudar o time a impor respeito em casa, a diretoria do Leão tomou duas atitudes. A primeira: pagar, pelo menos, os salários de agosto do elenco de jogadores. E a outra foi decretar uma promoção de ingressos para tentar lotar a Ressacada. Cada torcedor que aparecer vestido com a camisa do clube na bilheteria, pode comprar dois ingressos a 30 reais. Dentro de campo, a ajuda que o Avaí pode ter são os retornos de Romário, Eduardo Neto e Éverton Silva, que cumpriram suspensão contra o Fluminense.

O Avaí tem 38 pontos e ocupa a 17ª posição no Campeonato Brasileiro. Dois pontos o separam de Figueirense e Coritiba, de modo que uma vitória azurra no sábado (28), às 21h, contra a Ponte, somada a resultados negativos dos rivais tira o Leão da zona de rebaixamento.