Levir Culpi na Coletiva - Atlético-MG (Foto: Bruno Cantini/Atlético MG)

Levir Culpi revela que sua saída foi selada em jantar com presidente do Atlético (Foto: Bruno Cantini/Atlético MG)

RADAR/LANCE!
01/12/2015
02:34
São Paulo (SP)

Um jantar, um bom papo e... A demissão. Levir acabou pagando com o emprego a conta do restaurante após encontro com o presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno. Foi o que o próprio técnico revelou, em entrevista dada no canal por assinatura, Sportv. Nela, Levir Culpi disse que chegou a ser procurado pelo clube para renovar contrato, mas, aos poucos, sentiu que a ideia da diretoria para 2016 era de mudança. No entanto, o ex-treinador do Galo não conseguiu enxergar qualquer motivo específico que tenha levado à não-continuidade do trabalho à frente do elenco.

- Há uns dois meses, o Eduardo Maluf (diretor de futebol) me procurou para falar sobre a renovação e me fez uma proposta. Aí, fiz uma contraproposta. E não teve uma sequência na conversa. A coisa foi se arrastando e também achei que o Atlético estava com outra ideia para a próxima temporada. Até que chegou o dia em que o Daniel (Nepomuceno, presidente do clube) me chamou para jantar. Ficamos até duas e meia da manhã conversando. E ele me falou que eu tinha de sair. "Levir não tô gostando, acho que você perdeu o comando do grupo, o time caiu de produção". Ele falou alguma coisa sobre pressão também. Mas não teve um motivo específico. O motivo não sei exatamente. Porque o time joga regularmente legal. Isso posso falar - contou o técnico.


Após quatro passagens pelo Atlético, além de outras três pelo Cruzeiro, Levir Culpi se sente em casa em Minas Gerais. No entanto, após a recente saída do Galo, ele vê seu ciclo encerrado no futebol do estado. Mas se engana quem pensa que Levir guardará mágoas ou traumas após a recente demissão.

- Não vejo uma situação de voltar para Minas e trabalhar ali. Fechou o ciclo. E as lembranças que eu tenho de Minas não vão ser apagadas. Não estou revoltado. As coisas do futebol vão continuar acontecendo. Os técnicos vão ser demitidos da mesma forma. Não quero corrigir os problemas do futebol brasileiro. Quero agradecer ao pessoal que trabalhou comigo. Os amigos que eu fiz. Se eu não estivesse no Atlético, no Cruzeiro não teria tido os momentos felizes que eu tive em Minas Gerais - concluiu.

Nesta quarta e última passagem pelo Galo, Levir levantou uma Recopa Sul-Americana e a histórica Copa do Brasil diante do Cruzeiro, além de um título estadual. Ao todo, o treinador tem 288 jogos em toda a história alvinegra, com 154 vitórias, 60 empates e 74 derrotas.